Theo Angelopoulos

Realizador grego nascido em 1935. Apesar da maior parte da sua filmografia continuar inédita em Portugal, é considerado um dos maiores vultos do cinema contemporâneo europeu. Em 1958, instalou-se em Paris onde se matriculou no curso de Cinematografia do prestigiado IDHEC. As notórias dificuldades em arranjar financiamento para filmar uma longa-metragem levaram-no a abraçar a advocacia, tendo também trabalhado como ensaísta. Assinou dois documentários, mas foi na Grécia que elaborou a sua primeira obra de ficção: Anaparastasis (1970) foi um marco no campo dos dramas sociais e aborda a história de um grego que, para fugir à pobreza, resolve emigrar para a Alemanha, mas quando regressa à pátria, é assassinado pela sua mulher e pelo amante desta. Os seus filmes seguintes abordaram facetas históricas da Grécia: a presença do país na Segunda Grande Guerra em O Thiassos (1975), o domínio inglês na viragem do século XIX em Megaleksandros (Alexandre, o Grande, 1980) e uma versão moderna da Odisseia de Homero com Taxidi sta Kithira (Viagem a Citera, 1984), galardoado no Festival de Cannes com o prémio para melhor argumento. O seu maior êxito comercial veio a ser Mia Aioniotita Kai Mia Mera (A Eternidade e Um Dia, 1998), premiado em diversos certames internacionais.
Como referenciar: Theo Angelopoulos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-10 05:32:47]. Disponível na Internet: