Titanomaquia

A Titanomaquia constitui a primeira etapa da guerra empreendida pelos deuses, a fim de consolidarem o seu poder e assegurarem o domínio da razão e da inteligência sobre as forças de natureza bruta. Segundo a mitologia, Cronos, ajudado pelos seus irmãos Titãs e outras figuras mitológicas, teria castrado seu pai, Urano, usurpando-lhe o poder do universo. Tendo o oráculo de Urano e Gaia advertido Crono que um dos seus filhos o derrotaria, este passou a devorar todos eles, receando que um o destronasse. Mas Reia, sua esposa, escondeu o mais novo, Zeus, que o enfrentou e derrotou. O grande pai dos deuses contou não só com a ajuda dos Olímpicos - Atena, Apolo, Hera, Poseidon e Plutão, entre outros - mas teve também como aliados Oceano, Prometeu, Estige, os Ciclopes e os Hecatonquiros, que embora irmãos dos Titãs haviam também sofrido sobre o seu domínio. Assim, os Olímpicos conquistaram o poder do universo e prenderam Cronos e os Titãs no fundo dos Infernos. Após a sua vitória, Zeus dividiu o poder com os irmãos e passou a governar o céu e a terra, encarregando Poseidon do domínio dos mares e Hades das regiões subterrâneas. Esta luta, que dá o poder aos Olímpicos, é longamente descrita por Hesíodo na Teogonia e serviu muitas vezes como tema de inspiração para a arte e literatura.
Como referenciar: Porto Editora – Titanomaquia na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-17 08:53:04]. Disponível em