Tito Lívio

Tito Lívio nasceu em 59 a. C. em Pádua e morreu em 16 d. C. na mesma cidade. Era de família patrícia e foi amigo de Augusto e precetor de Cláudio. Foi enorme a sua reputação como escritor.
A sua História Romana desde a fundação compunha-se de 142 livros dos quais nos chegaram apenas os livros I-IX e XXI-XLV mais alguns fragmentos. É posterior a Tito Lívio a divisão da sua obra em décadas (grupos de 10 livros).
O valor de Tito Lívio como historiador é discutível. Não tem a preocupação dos documentos e das fontes, nem espírito crítico. Tem sobretudo a preocupação de moralizar. Os seus heróis são modelos e as virtudes do passado são enaltecidas.
Embora sincero, não é imparcial. O seu amor por Roma fá-lo exaltar em excesso os seus concidadãos em detrimento de inimigos como Aníbal e os Cartagineses. Literariamente, porém, Tito Lívio está na primeira linha dos escritores romanos. Narrador vivo e dramático, vale também pelos dircursos que coloca na boca das suas personagens e que, embora fictícios e retóricos, lhes definem o carácter. O seu estilo, amplo, nobre e harmonioso lembra Cícero, embora se lhe possam apontar algumas irregularidades de sintaxe.
Como referenciar: Tito Lívio in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 11:45:13]. Disponível na Internet: