Tom Zé

Compositor, músico e produtor brasileiro, António José Santana Martins nasceu no dia 11 de outubro de 1936, em Irará da Baía, Brasil. Nascido no seio de uma família afortunada com um prémio de lotaria, Tom Zé passou a sua infância no sertão baiano, mudando-se na adolescência para a capital do Estado, Salvador. É aí que começa a interessar-se pela música e pelo estudo do violão, tocando em alguns programas de novatos na televisão, durante a década de 60. Acaba por conseguir entrar para a Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, tendo como professores alguns nomes fortes da técnica musical da época, como o suíço Walter Smetak e o alemão Hans Joachim Koellreutter. Durante esses tempos, priva com os músicos que estariam, com ele, na base do movimento tropicalista, integrando o espetáculo Por Exemplo, N.º 2, ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e Maria Bethânia. Em 1968, participa no disco Tropicália ou Panis et circensis, projeto liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil que seria considerado um dos manifestos essenciais do movimento tropicalista. Ainda nesse ano, a canção "São, São Paulo, Meu Amor" dá-lhe o primeiro lugar no IV Festival da Música Brasileira da TV Record. Gradualmente desvinculado do tropicalismo e apostando na emancipação de uma música pop fortemente marcada pelo experimentalismo, gravaria alguns álbuns despercebidos pelo grande público, a partir da década de 70. Seria descoberto, já no final dos anos 80, pelo ex-Talking Heads David Byrne que, além de lançar a sua obra no mercado americano, se envolveu ativamente na produção de algumas gravações de Tom Zé.

Lentamente, a carreira de Tom Zé sai do obscurantismo dos canais alternativos e, com o fôlego emprestado por Byrne, reaproxima-se das suas origens populares, cativando novamente audiências mais numerosas no Brasil e, mais tarde, no exterior. A década de 90 seria marcada pelas digressões europeias e nos Estados Unidos e os reflexos seriam sentidos no mercado brasileiro, em 1999, com o lançamento de Com Defeito de Fabricação, produzido por Byrne. A carreira de Tom Zé estava relançada e seria retomada a regularidade nas gravações de estúdio, sendo-lhe reconhecida a importância do trabalho de dissecação das raízes culturais do Brasil, coisa iniciada com Estudando o Samba, de 1976. Seria alvo do filme Fabricando Tom Zé, um retrato da sua experiência controversa e vanguardista desde o tropicalismo, usando o pretexto da digressão europeia de 2005.

Discografia 1968, Tom Zé
1970, Tom Zé
1972, Tom Zé
1973, Todos os Olhos
1976, Estudando o Samba
1978, Correio da Estação do Brás
1984, Nave Maria
1990, The Best of Tom Zé
1992, The Hips of Tradition
1994, Tom Zé
1994, Prestígio 7
1997, Parabelo (com Zé Miguel Wisnik)
1998, No Jardim da Política
1998, Com Defeito de Fabricação
1999, Postmodern Platos
1999, Imprensa Cantada
2000, Jogos de Armar - Faça Você Mesmo
2002, Santagustin
2005, Estudando o Pagode
2006, Dança-êh-sá

Como referenciar: Tom Zé in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-21 19:03:44]. Disponível na Internet: