Tony Curtis

Ator norte-americano, de nome verdadeiro Bernard Schwartz, nasceu a 3 de junho de 1925, no bairro nova-iorquino do Bronx, e faleceu a 30 de setembro de 2010, em Las Vegas, Estados Unidos da América. Foi um dos grandes galãs do cinema, especialmente nos anos 50, a sua melhor década. Órfão de mãe, foi educado pelo seu pai, um alfaiate de origem húngara. A sua infância foi atribulada, tendo-se tornado num perigoso delinquente juvenil: aos 11 anos, já liderava um gang que se dedicava ao roubo de automóveis. Lutou no exército Aliado durante a Segunda Guerra Mundial e foi ferido na ilha do Guam. Findo o conflito, decidiu tentar uma carreira de ator, fazendo teatro amador. Atraiu as atenções da Universal que procurava renovar o seu quadro de galãs. Estreou-se num papel de gigolo em Criss Cross (Dupla Traição, 1949). Nos anos seguintes, as suas prestações tipificaram-se interpretando, quase sempre, papéis de personagens latinas. O seu primeiro papel como protagonista revelou-se um sucesso comercial: The Prince Who Was a Thief (O Príncipe-Ladrão, 1952). Em 1952, conheceu a atriz Janet Leigh com quem veio a contrair matrimónio. Da relação, nasceram duas filhas, uma das quais iria seguir as pisadas dos progenitores: Jamie Lee Curtis. Ainda na década de 50, Curtis veio a protagonizar títulos bem sucedidos como Houdini (1953), Trapeze (Trapézio, 1956), Sweet Smell of Success (1957) e The Vikings (Os Vikings, 1958). Em 1958, obteve a sua única nomeação para o Óscar de Melhor Ator interpretando um evadido acorrentado a um prisioneiro negro em The Defiant Ones (Os Audaciosos, 1958). Protagonizaria uma das maiores comédias de todos os tempos: Some Like It Hot (Quanto Mais Quente, Melhor, 1959), ao lado de Jack Lemmon e Marilyn Monroe. Nos anos 60, teve papéis carismáticos: foi o escravo Antoninus em Spartacus (1960), um galã caricaturado em The Great Race (A Grande Corrida à Volta do Mundo, 1965) e um homicida psicopata em The Boston Strangler (O Estrangulador de Boston, 1968). Nas décadas seguintes, a sua carreira entrou em franco declínio, muito devido à sua dependência das drogas e do álcool. Dignos de referência apenas títulos como Lepke (O Assassino, 1974), The Last Tycoon (O Grande Magnata, 1976), The Mirror Cracked (O Espelho Quebrado, 1980), Lobsterman From Mars (Os Loucos Invasores do Espaço, 1988) e Stargames (1998). Pintor auto-didata, tem feito várias exposições um pouco por todo o Mundo.
Como referenciar: Tony Curtis in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-22 02:29:47]. Disponível na Internet: