trampolim

O trampolim é uma das três disciplinas da ginástica e a última, até agora, a integrar o programa dos Jogos Olímpicos, já que a sua estreia ocorreu na edição de Sydney, no ano 2000. As outras são a artística e a rítmica. O desporto consiste em executar movimentos no ar após impulsão numa cama elástica.
Os atletas de trampolim têm que executar um exercício obrigatório e um opcional e são pontuados conforme executam as manobras e tendo em conta o grau de dificuldade. Os vencedores podem realizar mais um exercício opcional, sempre respeitando o limite máximo de oito contactos com o trampolim.
O trampolim surgiu há cerca de 200 anos, mas na época servia apenas para exibição, nomeadamente em circos. O seu inventor foi o acrobata francês Du Trampolin que usou a rede de segurança dos trapezistas para efetuar saltos artísticos com piruetas. Até ao final do século XIX os artistas de circo vulgarizaram a utilização dos trampolins. Entretanto, há também registos de, na mesma época, os índios Comanche, no norte da América, e os Inuit, no Canadá, atirarem pessoas ao ar, impulsionadas com peles de animais.
No entanto, a versão moderna do trampolim surgiu por volta de 1930, por iniciativa do norte-americano George Nissen, que desenhou um aparelho para ajudar ao treino de orientação dos pilotos da Força Aérea dos Estados Unidos. Os russos aproveitaram mais tarde a ideia para ajudar os seus astronautas a ambientarem-se à gravidade zero.
O trampolim como desporto surgiu nos Estados Unidos da América, na década de 40, e a primeira prova, apesar de não oficial, teve lugar em 1947. O primeiro campeonato norte-americano realizou-se sete anos depois. Dos Estados Unidos, o trampolim espalhou-se para Inglaterra, que viria a receber, em 1964, a estreia de campeonatos mundiais. No ano seguinte, a Federação Internacional de Trampolim foi oficialmente reconhecida.
Os saltos no trampolim tornaram-se populares na segunda metade do século XX e no jardim de muitas casas passaram a existir camas elásticas para entreter, principalmente, os mais jovens. Contudo, o trampolim acabou por ser o responsável por muitas quedas e lesões, em especial entre crianças que brincavam sem ninguém por perto.
O problema das lesões também existia na competição e ajudou a fazer com que a modalidade perdesse o espaço e estatuto que tinha ganho nos Estados Unidos, os dominadores das primeiras edições dos campeonatos mundiais. O domínio passou, então, a ser exercido pelos europeus, com os russos à cabeça.
Como referenciar: trampolim in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-09 16:09:10]. Disponível na Internet: