transcrição da informação genética

Processo, integrado no mecanismo de expressão da informação genética, que conduz à síntese de ácido ribonucleico (ARN) a partir de uma cadeia de ácido desoxirribonucleico (ADN) que contém a informação que lhe serve de molde. Nas células eucarióticas, a transcrição genética ocorre no núcleo.
O processo de transcrição inicia-se com a ligação da ARN-polimerase, um complexo enzimático catalisador, a uma determinada sequência de ADN. A ARN-polimerase reconhece no ADN os codões de iniciação e de finalização.
Após a ligação, a ARN-polimerase desliza sobre a sequência de ADN e separa as duas cadeias da dupla hélice, quebrando as ligações de hidrogénio entre as bases complementares. Apenas uma das cadeias de ADN é utilizada como molde para a síntese do ARN. A polimerização dos nucleótidos, mediada pela ARN-polimerase, para a formação do mARN obedece à ordem imposta pela complementaridade das bases que se estabelece entre os nucleótidos da cadeia de ADN e os nucleótidos do mARN. Os nucleótidos livres no núcleo da célula ligam-se, por complementaridade, a uma das cadeias livres de ADN no sentido 5'→3', formando, deste modo, uma molécula de ARN complementar.
Após a passagem da ARN-polimerase, a molécula de ADN reconstitui-se, restabelecendo-se as pontes de hidrogénio entre as bases complementares das duas cadeias da dupla hélice.
A transcrição de um segmento de ADN dá origem a um ARN pré-mensageiro, que é sujeito a um processamento ou maturação, no qual ocorre a eliminação de determinadas porções correspondentes às sequências de nucleótidos do ADN que não codificam informação - os intrões. Após esta remoção, dá-se a ligação dos exões, que correspondem a sequências de aminoácidos que codificam informação, formando-se o mARN funcional ou ativo que migra para citoplasma, fixando-se nos ribossomas.
Como referenciar: transcrição da informação genética in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-23 17:39:38]. Disponível na Internet: