Tratado de Brest-Litovsk

Tratado de paz assinado no local que designou o seu nome, Brest-Litovsk, entre as potências beligerantes da Rússia e dos estados da Europa Central (Alemanha, Áustria-Hungria, Turquia e Bulgária), a 3 de março de 1918.
As duas partes intervenientes nos conflitos armados desenrolados durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), acordaram neste tratado em pôr fim às hostilidades.
O Governo bolchevique que depôs Aleksandr Kerensky, em 1917, empenhou-se na pacificação das suas relações com as potências centrais. O armistício assinado em dezembro de 1917 resultou numa conferência de paz. O líder russo Leon Trotsky atrasou as discussões e mais tarde os conflitos reacenderam-se. Entretanto, as posições extremaram-se, e com a entrada em cena de Lenine, que temia a destruição do Estado bolchevique, foi acordada a cedência de um vasto conjunto de territórios como a Finlândia, a Polónia, a Estónia e a Ucrânia. Também foram entregues algumas áreas à Turquia. Todavia, o armistício que pôs termo à I Guerra Mundial anulou as disposições acordadas neste tratado.
Como referenciar: Tratado de Brest-Litovsk in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-22 03:14:47]. Disponível na Internet: