tromba marítima

A tromba marítima é uma massa de vapor ou de água, erguida em coluna e animada de um movimento rápido, agitada por ventos ciclónicos, podendo atingir cem metros de altura e cerca de dez metros de diâmetro. É geralmente acompanhada de ventos fortes, de relâmpagos, de chuva e de granizo, sendo muitas vezes aliada a um movimento de aspiração, que levanta, no mar, uma coluna de água perigosa para os navios, que se encontram na sua passagem.
Na estância 16 do Canto V de Os Lusíadas, Vasco da Gama, destacando a dificuldade de os descrever, enumerara alguns dos fenómenos que podem ser observados no mar: trovoadas (súbitas e temerosas), relâmpagos, chuveiros (negros), noites (tenebrosas), (bramidos de) trovões.
Depois da descrição do Fogo de Santelmo (nos quatro versos iniciais da estância 18 do Canto V), Vasco da Gama passa a descrever um outro fenómeno natural quando com "espanto" viram as nuvens "sorver" as águas profundas do Oceano. Na estância 19, inicia se a descrição dinâmica e pormenorizada da Tromba Marítima, sendo nos apresentado o seu gradual desenvolvimento: o momento inicial: "o vaporzinho e subtil fumo"; o progressivo alargamento: "Qual roxa sanguessuga, "tal a grande coluna, enchendo, aumenta/ A si e a nuvem negra que sustenta"; o súbito esvaziamento da nuvem e a violenta intempérie.
Como referenciar: tromba marítima in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-23 19:58:42]. Disponível na Internet: