Universal Pictures

Companhia cinematográfica norte-americana fundada, em 1912, por Carl Laemmle, resultante de uma fusão entre a sua empresa Independent Motion Picture Company (fundada em 1909) e diversas outras como a Bison 101, a Nestor e a Powers. Em 1915, a empresa abriu a Universal City, no vale de San Fernando (Califórnia), estúdios com todas as condições para as filmagens de cenas em interiores e exteriores. Entre as várias personalidades que aqui iniciaram a sua carreira, destacam-se os atores Rudolph Valentino e Wallace Reid, o realizador Erich Von Stroheim e os produtores Irving Thalberg e Harry Cohn.
Nos anos 30, a Universal ganhou prestígio com produções como All Quiet on the Western Front (A Oeste Nada de Novo, 1930) e, especialmente, com os seus filmes de terror, que granjearam culto, protagonizados por Boris Karloff, Bela Lugosi, etc.: Frankenstein (1931), Dracula (1931), The Mummy (A Múmia, 1932), entre outros. No entanto, estes não constituíram sucessos de bilheteira, o que originou uma situação de sérias dificuldades financeiras, apenas salva pelos musicais protagonizados por Deanna Durbin. Nos anos seguintes, regressou o desafogo económico com a série de aventuras das 1001 Noites e com as comédias de Abbott e Costello.
Em 1952, a companhia foi adquirida pela empresa discográfica Decca Records e deixou de parte a produção de filmes de série B, dedicando-se a produções de maior qualidade técnica, de que se destacam os melodramas de Douglas Sirk. Em 1962, foi vendida à MCA Inc., iniciando o seu período de maior prosperidade, nomeadamente com a entrada no negócio da televisão, com séries como Alfred Hitchcock Presents ou Columbo.
A partir dos anos 70, a Universal City transformou-se num bem sucedido parque de diversões, visitado por milhões de pessoas, constituindo uma atração mundial com visitas guiadas aos bastidores da indústria cinematográfica. Na mesma década, surgiu a moda dos filmes-catástrofe com Airport (Aeroporto, 1970), grande sucesso de bilheteira do estúdio como foram também The Sting (A Golpada, 1973), American Graffiti (1973) ou The Deer Hunter (O Caçador, 1978). Marco absolutamente decisivo da indústria foi a produção, em 1975, de Jaws (Tubarão), de Steven Spielberg. Enorme sucesso, tornou-se o fundador do conceito de blockbuster e proporcionou a fundação no seu seio da produtora de Spielberg - Amblin Entertainment –, futura responsável por êxitos como E.T. – The Extraterrestrial (E.T. - O Extraterrestre, 1982), a série Back to the Future (Regresso ao Futuro, iniciada em 1985) ou Jurassic Park (Parque Jurássico, 1993).
Em 1990, o gigante japonês da eletrónica Matsushita comprou a companhia, mas acabou por vendê-la à Seagram (empresa de bebidas alcoólicas) em 1995. A Seagram tentou construir um império do audiovisual, adquirindo também a Polygram, mas as coisas não correram como o desejado e a companhia foi vendida à francesa Vivendi, em 2000, e rebatizada Vivendi Universal.
Como referenciar: Universal Pictures in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-18 06:56:32]. Disponível na Internet: