Uruguai

Geografia
País da América do Sul. Banhado pelo oceano Atlântico, a sudeste, e pelo estuário do rio da Prata, a sul, faz fronteira com a Argentina, a oeste, e o Brasil, a norte e a nordeste. Abrange uma área de 176 220 km2. As cidades mais importantes são Montevideu, a capital, com 1 346 900 habitantes (2004), Salto (103 800 hab.), Ciudad de la Costa (103 500 hab.), Paysandú (78 700 hab.) e Las Piedras (73 000 hab.).

Clima O clima é subtropical húmido. A chuva reparte-se ao longo de todo o ano, mas com maior incidência nos meses mais quentes.

Economia
O Uruguai tem uma economia baseada nos serviços, na indústria, na agricultura e na pecuária. As culturas dominantes são o arroz, a cana-de-açúcar, a cevada, a beterraba, a batata, o milho e o trigo. A pecuária, em especial a criação de ovinos e bovinos, tem um peso significativo nas exportações. As importações nacionais são constituídas, quase exclusivamente, por combustíveis e por metais. A indústria produz bens alimentares, bebidas, produtos químicos, produtos petrolíferos, têxteis, calçado, equipamento para os transportes, tabaco, produtos de couro e derivados de papel. Os maiores parceiros comerciais do Uruguai são o Brasil, a Argentina, os Estados Unidos da América e a Itália.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 2,0.

População
A população era, em 2006, de 3 431 932 habitantes, o que corresponde a uma densidade de aproximadamente 12,5 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 13,91%o e 9,05%o. A esperança média de vida é de 76,33 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,834 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,830 (2001). Estima-se que, em 2025, a população seja de 3 985 000 habitantes. As principais etnias são a branca (86%) e a mestiça (8%). A religião com maior expressão é a católica (79%), seguida da protestante (8%). A língua oficial é o castelhano.

História
Os espanhóis instalaram-se no Uruguai em 1624 e, em 1680, foi a vez dos portugueses. Mas, no século XVIII, os espanhóis passaram a controlar completamente o território. Em 1814, a administração dos colonizadores foi derrubada por José Artigas, ditador até 1820, ano em que o Brasil se apoderou do país. Em 1825 conquistou a independência, embora os países vizinhos não a tenham reconhecido até 1853. Entre 1825 e 1828, foi disputado pela Argentina e pelo Brasil. Entre 1839 e 1851, o país viveu uma guerra civil, causada pelos conflitos entre os dois principais partidos, o Partido Colorado (Vermelho), liberal, e o Partido Blanco (Branco), conservador. Em 1865 o Uruguai envolveu-se numa guerra com o Paraguai, que durou cinco anos.
José Battle Ordóñez, do Partido Colorado, foi eleito presidente em 1903. Os seus programas permitiram uma certa estabilidade social e política até 1929, ano em que morreu. Seguiu-se um período ditatorial mas, em 1951, foi criada uma nova Constituição. Em 1958 os nacionalistas (Brancos) ganharam as eleições, mas o aumento da inflação e da crise económica estimulou a atividade do terrorismo, dando origem a um golpe militar em 1973. O poder foi tomado pelos rebeldes e as violações dos direitos humanos tornaram-se comuns por parte do governo militar. Em 1985 houve eleições gerais e Julio Maria Sanguinetti, liberal, tornou-se presidente do Uruguai. A prioridade do novo executivo foi libertar todos os presos políticos e restaurar completamente os direitos civis. Todos os partidos passaram a ter representação no governo. Nas eleições seguintes, quatro anos mais tarde, o conservador Luis Lacalle Herrera foi eleito presidente. Em 1994, Julio Maria Sanguinetti regressou ao poder. Nas eleições presidenciais de 1999 foi eleito Jorge Battle, que assumiu o poder a 1 de março de 2000.
Como referenciar: Uruguai in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-09 16:05:19]. Disponível na Internet: