Valentino Garavani

Estilista italiano, Valentino Garavani nasceu a 11 de maio de 1932, em Voghera, no norte de Milão. O seu sonho era mesmo ser estilista e, desde jovem, direcionou os seus estudos para o design de moda e para a língua francesa, preparando o salto para Paris, na altura a capital mundial da moda. Aos dezassete anos, rumou então a França, onde, depois de tirar o curso de design em três anos, foi assistente de Jean Dessès durante cinco, seguindo-se dois anos de trabalho com Guy Laroche. Sentindo-se formado, regressou a Itália, em 1959, para abrir, em Roma, o seu próprio atelier, para o que contou com a apoio financeiro da família. Estava-se na época da "Dolce Vita", durante a qual diversas estrelas de cinema de Hollywood visitavam a capital italiana, onde também brilhavam artistas nacionais como Gina Lollobrigida e Sophia Loren. Simultaneamente, descobriram e divulgaram as roupas de Valentino, possibilitando que o jovem estilista de Voghera rapidamente conhecesse a fama. A estreia internacional de Valentino Garavani aconteceu em 1962, em Florença, que na altura era a capital da moda italiana. O seu primeiro desfile de moda foi considerado uma revelação, tanto pela imprensa como pelos comerciantes internacionais, que rapidamente o encheram de encomendas. Conheceu então uma ascensão contínua, tendo a sua carreira sido valorizada com a obtenção de diversos prémios.
A consagração definitiva aconteceu em 1969, quando lançou a Coleção Branca, um conjunto de roupa de traços simples dedicado a Jacqueline Kennedy, viúva do presidente dos Estados Unidos. Com esta linha, surgiu também o seu logótipo com a letra "V", que, até aos dias de hoje, aparece nos botões, bolsos e acessórios, como os perfumes, da casa do costureiro. A Coleção Branca, por ser tão simples, acabou por chocar numa época em que ditava lei a multiplicidade de cores garridas. O vestuário com a letra "V" passou a ser usado por mulheres tão famosas como Elizabeth Taylor, Farah Diba (a mulher do ex-Xá do Irão), Nancy Reagan, Imelda Marcos e Jacqueline Kennedy. Aliás, a viúva de John Kennedy, quando voltou a casar, com milionário grego Aristóteles Onassis, usou um vestido curto desenhado por Valentino.
No final da década de 60, Valentino Garavani conheceu um estudante de arquitetura, Giancarlo Giametti, que se viria a tornar seu sócio e que se revelou determinante na expansão mundial do negócio. Em 1972, lançou as suas coleções de pronto-a-vestir para homem e mulher, ao mesmo tempo que abria as primeiras lojas próprias em Roma e Milão. Valentino apresentou também uma linha jovem, chamada Oliver em homenagem ao seu cão, e expandiu nos anos seguintes a sua arte e negócio para outro tipo de roupa, como gravatas, camisas e jeans, e para a decoração de interiores, através dos têxteis, móveis e papel de parede.
1978 ficou marcado pelo lançamento, numa gala de luxo em Paris, do primeiro perfume da marca Valentino.
Em 1999, o costureiro criou a Academia Valentino, um espaço de exposição de arte localizado em Roma, junto ao seu atelier, para no ano seguinte, encorajado por Elizabeth Taylor, fundar a associação LIFE, destinada a auxiliar as vítimas da SIDA. Em junho de 2000, a Associação dos Criadores de Moda dos Estados Unidos decidiu atribuir a Valentino Garavani um prémio pela sua carreira de estilista. Atualmente, há cerca de 560 lojas no Mundo a vender a marca Valentino e mais 60 que se dedicam a comercializar em exclusivo as roupas do veterano estilista italiano, que conta, entre as suas admiradoras, com atuais estrelas como Sharon Stone e Claudia Schiffer.
Como referenciar: Valentino Garavani in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-24 21:20:40]. Disponível na Internet: