valor-trabalho

Tanto a teoria clássica como a teoria marxista utilizam uma conceção objetiva do valor, segundo a qual o valor das mercadorias é função do tempo de trabalho necessário, em média, para as produzir.
Nesta teoria, numa vertente liberal que remonta a Adam Smith, distingue-se o valor de uso do valor de troca. O primeiro designa a utilidade do produto ou a satisfação que se encontra no seu consumo ou na sua utilização. O segundo refere-se ao destino comercial da mercadoria enquanto destinada a ser trocada num mercado. É o valor de troca que dita o preço das mercadorias. Como a substância do valor é o trabalho, a medida de todo o valor é o trabalho necessário para a produção da mercadoria. Numa perspetiva marxista, o trabalho tem sempre um valor inferior àquele pelo qual é remunerado.
Como referenciar: Porto Editora – valor-trabalho na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-27 12:04:55]. Disponível em