vela

A vela é um desporto náutico em que as embarcações se deslocam na água através da força do vento. É possível velejar à frente do vento, em que o barco segue a direção das rajadas, com as velas colocadas a um ângulo de 90º em relação ao eixo do barco, mas também com ventos laterais. Para isso é necessário colocar as velas com uma inclinação de 45º. Cada barco tem também uma quilha para impedir que se desvie do curso.
Na vela há três tipos de competições, as junto à linha, da costa, que também podem decorrer em lagos, as mais ao largo e as ocêanicas. Entretanto, há dois tipos de corridas, em frota ou com os concorrentes a correr sozinhos, ganhando sempre quem somar o menor número de pontos.
Os primeiros barcos à vela recreativos e desportivos surgiram nos inícios do século XVII, por mão dos nobres e dos comerciantes dinamarqueses. Ainda nesse século, o rei Carlos II de Inglaterra popularizou a vela nas ilhas britânicas depois de ter recebido um iate de prenda da parte do povo dinamarquês. Anos mais tarde, em 1720, foi fundada na Irlanda a primeira associação de amantes da vela, a Cork Water Club. Em 1815 nasceu, na ilha de Wight, o Royal Yacht Club de Inglaterra, atualmente a mais antiga organização de vela do mundo. Em 1851 realizou-se a primeira competição de vela de todos os tempos. Um só barco americano, o América, aceitou e venceu o desafio de competir contra quinze veleiros ingleses numa corrida à volta da ilha de Wight, denominada Hundred Guineas Cup. Este feito ajudou bastante ao desenvolvimento da vela nos Estados Unidos. Aliás, o nome deste barco deu origem, em 1857, à hoje muito famosa America's Cup, a prova mais importante do calendário internacional, que depois de ter sido dominada pelos norte-americanos é agora também feudo de australianos e neo-zelandeses.
Por ser um desporto antigo, a vela faz parte do calendário dos Jogos Olímpicos desde o início da era moderna destes, ou seja, desde 1896, em Atenas, embora nessa edição não tenha chegado a haver provas por causa do mau tempo que assolou a Grécia na altura. Assim, a estreia ficou adiada para 1900, em Paris.
Na altura imperavam as embarcações gigantescas, pesadas à tonelada, quando hoje em dia predominam as pequenas, onde quem faz a diferença nas corridas são os atletas.
As classes em disputa nos Jogos Olímpicos já foram alteradas diversas vezes ao longo dos anos e em Sydney'2000 houve provas de Soling, Tornado, 49er, 470, Star, Finn (só para homens), Laser, Europa (só para mulheres) e Mistral (windsurf).
Portugal, apesar de não ser uma potência da vela internacional, já ganhou algumas medalhas olímpicas na modalidade, a primeira das quais em 1948, em Londres. Os irmãos Fernando e Duarte Bello conquistaram a medalha de prata na classe Swallow, depois de terem sido considerados vencedores. Uma série de protestos acabou por relegar a dupla portuguesa para a segunda posição. Em 1952, em Helsínquia, Joaquim Fiúza e Francisco Andrade alcançaram o bronze na classe Star. Já em 1960, em Roma, e novamente graças a uma dupla de irmãos, José e Mário Quina, Portugal regressou ao pódio olímpico. Mais uma medalha de prata, desta feita na classe Star. Depois, foi preciso esperar até aos Jogos de Atlanta, em 1996, para a vela portuguesa voltar a brilhar. Nuno Barreto e Hugo Rocha conquistaram o bronze na classe 470.
Como referenciar: vela in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-10 21:53:32]. Disponível na Internet: