Villa Savoye

A Villa-Savoye foi construída por um jovem casal de milionários num terreno que possuíam em Poissy-sur-Seine, nos arredores de Paris, constituindo um refúgio de férias e de fim de semana.
O terreno, de grandes dimensões, apresentava uma clareira de nível com uma vista soberba sobre o vale do Sena. Foi aqui que o arquiteto, Le Corbusier, pousou a casa, um volume prismático branco, de planta quadrada, elevado do solo por pilotis (colunas de betão). A parede exterior, tratada como uma membrana sem funções estruturais, foi rasgada por longas janelas horizontais que enquadravam as perspetivas sobre o exterior da casa.
No piso térreo concentravam-se os espaços de serviço (garagem e quartos dos empregados) assim como a entrada e respetivos dispositivos de circulação. Uma parede curva em vidro continha o átrio da habitação, no interior do qual se encontrava uma rampa que conduzia aos restantes pisos, assim como uma escada auxiliar de serviço.
No primeiro andar ficavam os espaços nobres da habitação (os quartos, a sala comum e a cozinha), organizados em torno de um terraço-jardim.
A partir do primeiro piso, a rampa continuava exteriormente em direção à cobertura, tratada como um amplo espaço exterior - um terraço - onde algumas paredes curvas continham e emolduravam as vistas sobre a paisagem. Esta rampa, que substituiu a solução tradicional das escadas, permitia que o movimento ascensional se fizesse de forma contínua, criando um percurso interior em que se sucediam ininterruptamente apelativos acontecimentos espaciais e visuais. A este conceito de percurso ao longo do edifício Le Corbusier designaria "promenade architecturale".
A Villa Savoye constitui um dos mais importantes exemplares da arquitetura moderna de raiz funcionalista, sintetizando um conjunto de pesquisas relativamente à arquitetura doméstica que Le Corbusier desenvolveu desde o projeto para as Casa Dominó e Citrohan. Ilustra na perfeição os famosos "5 pontos da nova arquitetura" que o arquiteto apresentara sob a forma de texto programático quatro anos antes e que referia a utilização de pilotis para elevar a construção do solo, a planta livre formada por paredes não estruturais, a fachada livre, o uso de janelas horizontais e longas e o jardim sobre o terraço.
Transformada em museu após cuidados trabalhos de recuperação, a Villa-Savoye foi reconhecida pelo governo francês como Monumento Nacional, categoria muito raramente atribuída a obras de arquitetura construídas no século XX.
Como referenciar: Porto Editora – Villa Savoye na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-27 23:57:01]. Disponível em