Virgínia de Castro e Almeida

Escritora e produtora de cinema, Virgínia de Castro e Almeida nasceu a 24 de novembro de 1874, em Lisboa. Oriunda de uma família de aristocratas, começou a escrever composições dramáticas aos 8 anos e, em 1895, iniciou a sua carreira de escritora, utilizando o pseudónimo Gy, com o livro Fada Tentadora, que foi considerado como obra pioneira da literatura infantil, em Portugal.

Em 1907, dirigiu a coleção "Biblioteca para meus Filhos" para a Livraria Clássica Editora, na qual foram publicadas várias obras suas. Com o objetivo de instruir as crianças, de forma fácil e divertida, Virgínia Castro e Almeida publicou, nessa coleção, livros com noções científicas, como Céu Aberto (1907), Em Pleno Azul (1907), Pela Terra e pelo Ar (1911) e As Lições de André (1913). Preocupada com as questões da educação e da formação da mulher, a escritora publicou: Como Devo Governar a Minha Casa (1906) e Como Devemos Criar e Educar os Nossos Filhos (1908).
A partir de 1918, viveu durante bastante tempo, em França e na Suíça, onde difundiu a literatura e a história portuguesas, traduzindo obras de escritores, como João de Barros, Garcia de Resende, Camões, entre outros. Para isso, publicou Les Grands Navigateurs et Colons Portugais du XVe et du XVIe siècle – Antologie des Ecrits de l'Epoque (1936-1938, obra em 5 volumes), Conquests and Discoveries of Henry the Navigator e Itinéraire Historique du Portugal (1940). Como tradutora, verteu para português obras de Dickens, Georges Sand, Marco Aurélio, Cervantes, entre outros.

Durante este período no estrangeiro, apercebeu-se da inutilidade das noções científicas que tentou introduzir nos seus livros infantis, passando, então, a incentivar a criatividade e a imaginação através de História de Dona Redonda e da sua Gente (1942) e de Aventuras de Dona Redonda (1943). Em Genebra, enquanto desempenhou o cargo de delegada do governo salazarista na Sociedade das Nações, Virgínia de Castro e Almeida escreveu também, em colaboração com o Secretariado de Propaganda Nacional, pequenos livros de difusão histórica e de doutrinação dos valores e da visão do Estado Novo.

Virgínia de Castro e Almeida fundou, em 1922, a Fortuna Filmes, cuja primeira produção foi Sereia de Pedra, baseada no seu romance Obra do Demónio. Seguiu-se Os Olhos de Alma que foi exibido, em França, a 11 de dezembro de 1923, no Ciné Select.

Virgínia de Castro e Almeida faleceu a 22 de janeiro de 1945, em Lisboa.


Como referenciar: Virgínia de Castro e Almeida in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-09 18:59:43]. Disponível na Internet: