Visão

Revista semanal de informação e atualidades, lançada a 25 de março de 1993, por um grupo de jornalistas que até 1992 liderou o projeto do semanário O Jornal. Este grupo, associado sob o nome Projornal, juntou-se em 1993 à empresa suíça Edipresse e nasceu a Visão, que se viria a tornar em pouco tempo a maior revista portuguesa de informação.
Inspirando-se no estilo da consagrada revista norte-americana Time, atingiu rapidamente uma tiragem média de 72 mil exemplares. Desde a primeira hora até 2005, altura em que se retirou por motivos de saúde, o diretor foi Carlos Cáceres Monteiro, proveniente de O Jornal.
A Visão foi lançada com o propósito de através de texto e da imagem dar cobertura aos mais importantes acontecimentos nacionais e internacionais. Os seus responsáveis pretendem manter-se independentes do poder político e económico ou de qualquer grupo de pressão, identificando-se com os valores da democracia. A revista divide as suas páginas por várias secções principais, abrindo normalmente cada edição com uma grande entrevista. As entrevistas tanto podem ser feitas a personalidades portuguesas como estrangeiras. Neste último caso, por vezes são traduzidas de publicações estrangeiras, tendo a Visão acordos de parceria, por exemplo, com a Time e o El Pais de Espanha. Publica regularmente grandes reportagens, sendo dividida em secções como economia, a sociedade, espetáculos, internacional ou desporto.
A Visão ao longo destes anos lançou várias edições especiais, vendidas em separado, abordando temas específicos tão variados como a cidade do Porto, os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos da América, a morte de Amália Rodrigues e o acidente de Castelo de Paiva.
Nas páginas da Visão aparecem regularmente crónicas de pessoas conhecidas como Maria de Lourdes Pintasilgo, Clara Pinto Correia e José Carlos Vasconcelos.
No meio do corpo da revista em 2001 passou a ser editado um roteiro destacável com sugestões de cinema, teatro, dança, exposições variadas, gastronomia, etc. Este roteiro tem uma edição em Lisboa e outra no Porto.
Em 2001, foi lançado o site Visaoonline.pt, uma extensão da revista na Internet, que pretende funcionar como um complemento e alternativa às restantes publicações online, embora sem competir com a informação em tempo real.
Os sócios portugueses da Visão venderam o seu capital aos suíços da Edipress, em maio de 1996, embora tenham mantido os cargos executivos. Em 1999, a Edipresse associou-se à abril Controljornal e passou a integrar o grupo de publicações desta empresa, onde pontificam também o Jornal de Letras, a Caras, a TV Mais, a Exame, a Turbo e a Super Interessante, entre outras.
A Visão é também responsável por algumas iniciativas, como um prémio anual de fotojornalismo, onde podem participar os fotógrafos profissionais portugueses ou estrangeiros residentes em Portugal. Os melhores trabalhos dão origem a uma exposição e a um livro. No primeiro ano, 2001, participaram mais de cem fotógrafos com 1500 fotos.
Como referenciar: Visão in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-01 16:16:44]. Disponível na Internet: