Vítor Pomar

Artista plástico, filho do pintor Júlio Pomar, nasceu em 1949, em Lisboa. Frequentou a Escolas de Belas-Artes do Porto e de Lisboa (1966-1969). No ano seguinte emigrou para a Holanda onde frequentou a Academia Livre de Haia e a Academia de Arte de Roterdão, completando os estudos em 1973. Ensinou serigrafia na Academia Livre de Haia entre 1973 e 1974. Entre 1976 e 1985, ano em que regressou a Portugal, trabalhou no quadro do "Regulamento dos Artistas Plásticos" (BKR) em Amesterdão.
Utiliza no seu trabalho técnicas tão variadas como a fotografia a preto e branco, o cinema experimental em 16 mm e Super 8 e o vídeo. No que se refere à pintura, a utilização exclusiva do preto e branco marca grande parte da sua produção (1977-1985). Ainda que alguns cinzentos apareçam, é o contraste máximo dos valores luminosos que predomina. A leitura do movimento também é facilitada por este cromatismo que recusa a sensorialidade. O primado do plano do suporte é respeitado em diversos aspetos, desde a marca do arrastamento dos pigmentos até à sugestão de alguma forma plasmada, obtida a partir da utilização de um pano ou papel recortado. No arrastamento dos pigmentos surgem por vezes estrias, que sugerem transparências e luminosidades, sempre subordinadas à presença do movimento. Assim, também por isto, o contraste preto/branco, no plano, corporiza-se. Entre a presença inerte da tinta e o seu domínio gestual uma textura oticamente ativa é criada. A sua obra mais recente reflete referências do Abstrato-Expressionismo e uma forte heterodoxia pessoal. Vítor Pomar foi o vencedor do Prémio de Pintura EDP-arte, em 2002.
Como referenciar: Vítor Pomar in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-14 00:14:55]. Disponível na Internet: