Vitória Sport Clube

O Vitória Sport Clube foi oficialmente fundado em 1922, ano da constituição da primeira direção e da sua filiação na Associação de Futebol de Braga.
Apesar disso, já em 1918, um grupo de jovens estudantes tinha constituído um clube de futebol com o nome de "Vitória Sport Clube", então uma coletividade informal e não filiada. Em 1922, o Vitória foi oficialmente organizado e elegeu-se a primeira direção, composta por António Macedo Guimarães (primeiro Presidente do clube), Emílio Pereira de Macedo, Luís Gonzaga Leite, Domingos André de Magalhães, Eduardo Pereira dos Santos e o Sargento Dória.
O primeiro jogo, ainda particular, realizou-se no inicio do ano de 1923, a 27 de março, no Campo da Atouguia, frente ao Sporting de Braga. Um desafio que o Vitória de Guimarães ganhou por 7-1.
Em 1926, o triunfo da Revolução Nacional e a implementação de um novo sistema político teve algumas consequências na prática desportiva do Vitória, que interrompeu a sua atividade durante alguns anos, até 1931.
Nesse ano, uma angariação de fundos na cidade de Guimarães permitiu o renascimento do clube, graças ao esforço do novo presidente, Carlos Machado. Foi então inaugurado o Campo do Benlhevai.
Na época de 1933/34, o "Vitória Sport Clube" conquistou o seu primeiro campeonato distrital. No início da década de 40, em 1942, o Vitória de Guimarães surpreendeu o país desportivo ao conseguir a qualificação para a sua primeira final da Taça de Portugal, disputada em 12 de julho. O opositor era o Belenenses, que ganhou o jogo por 2-0.
Na época de 1958/59, depois de três anos na segunda divisão nacional, o Guimarães voltou ao escalão principal do futebol português, alcançando o quinto lugar, a sua melhor classificação até então. Em 1963 voltou a estar presente na final da Taça de Portugal, perdendo, desta vez, com o Sporting por 4-0.
O sonho da construção de um estádio em Guimarães tinha surgido já nos anos 40, mas só em 1965 a ideia foi concretizada com a inauguração do Estádio Municipal de Guimarães, atualmente Estádio D. Afonso Henriques.
No final dos anos 60, na época de 1968/69, os vitorianos classificaram-se em terceiro lugar no campeonato e, mais importante, conseguiram a qualificação, pela primeira vez, para uma prova europeia de clubes, a Taça das Cidades Europeias. O primeiro adversário foi a equipa do Banik Ostrava, da Checoslováquia, a quem o Vitória ganhou por 1-0 em Guimarães, registando depois um empate (0-0) no desafio da segunda mão.
Em 1976, nova final da Taça de Portugal perdida, agora frente ao Boavista, por 2-1, em jogo disputado no Estádio das Antas, no Porto.
A 10 de março de 1980, foi eleito presidente do "Vitória Sport Clube" António Alberto Coimbra Pimenta Machado, que se tornou no presidente com mais anos de permanência no clube. Pimenta Machado colocou o Guimarães entre as mais fortes equipas portuguesas e entre os clubes com melhores infraestruturas para a prática desportiva, entre elas um complexo de treinos pioneiro em Portugal.
Em 1988, o clube volta a perder uma final da Taça, frente ao Futebol Clube do Porto, por 1-0, mas é contra os portistas que, no mesmo ano, o "Vitória Sport Clube" conquista o primeiro troféu nacional da sua historia, a Supertaça Cândido de Oliveira.
O Guimarães inaugurou o remodelado Estádio D. Afonso Henriques, a 25 de julho de 2003, numa partida disputada com os alemães do Kaiserslautern, que o Vitória venceu por 4-1. Este estádio foi um dos escolhidos para o Euro 2004.
Após mais de quatro décadas na primeira divisão, a temporada 2005/2006 ditou a descida do Vitória à segunda divisão, já que ficou no penúltimo lugar do campeonato.
Como referenciar: Porto Editora – Vitória Sport Clube na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-16 17:11:30]. Disponível em