William Friedkin

Realizador, produtor e argumentista norte-americano nascido a 20 de agosto de 1935. Tendo como ídolo Orson Welles, ainda criança quis seguir a vida artística tendo ido trabalhar, aos 16 anos, para uma estação televisiva de Chicago. Em 1957, principiou a fazer documentários e um deles recebeu o galardão máximo no Festival de Cinema de São Francisco, em 1962. Estreou-se como realizador de longas-metragens de ficção com Good Times (1967), um filme musical protagonizado pelo duo Sonny and Cher. Depois da audaciosa escolha ao tratar a homossexualidade masculina em The Boys in the Band (Os Rapazes do Grupo, 1970), venceu o Óscar para Melhor Realizador pelo policial The French Connection (Os Incorruptíveis Contra a Droga, 1971), entrando para a história do cinema como o realizador mais jovem a ter vencido esse galardão. Voltou a amealhar novo sucesso com a sua obra seguinte que marcaria um novo estilo de filme de terror: The Exorcist (O Exorcista, 1973). Tentou repetir a fórmula do êxito assinando o filme de suspense The Sorcerer (O Comboio do Medo, 1977), mas este, tal como os outros títulos subsequentes, foi um fracasso de bilheteira. A sua carreira foi, aliás, afetada por sucessivos desaires comerciais, tendo começado a trabalhar mais em telefilmes e séries a partir da década de 80.
Como referenciar: William Friedkin in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-11 20:23:51]. Disponível na Internet: