Xi Jinping

Político chinês nascido em junho de 1953, na província de Xianxim, Xi Jinping tornou-se presidente da República Popular da China em 2013, dando início a um período de ressurgimento nacionalista, autoritarismo crescente e de afirmação internacional do gigante asiático.

 

Filho de altos quadros do Partido Comunista Chinês (PCC), Xi Jinping sofreu as consequências das críticas feitas pelo seu pai ao processo da Revolução Cultural e, aos 15 anos de idade, foi enviado para a remota aldeia de Liangjiahe. Aí viveu os sete anos seguintes, experimentando os métodos de reeducação pelo trabalho promovidos pelo regime. Longe de se rebelar contra as autoridades, Xi Jinping tenta por várias vezes aderir ao PCC, o que acaba por acontecer em 1974. No ano seguinte inicia o curso de Engenharia Química na Universidade de Tsinghua, em Pequim. Concluído o curso, em 1979, Xi Jinping dedica-se à atividade política, tendo ocupado cargos de direção do PCC em diferentes províncias chinesas. Em 1987 casa-se com Peng Liyuan, uma popular cantora de música tradicional, com quem viria a ter dois filhos. 

 

Membro do Comité Central do PCC desde 2002 e do politburo desde 2007, Xi Jinping foi acumulando responsabilidades na direção dos destinos do partido e do país e, em 2013, foi eleito presidente da República Popular da China, sucedendo a Hu Jintao.

 

Uma das suas primeiras medidas foi lançar uma campanha nacional anticorrupção, que levou ao afastamento de mais de um milhão de funcionários – um processo visto por alguns observadores como uma forma de afirmação do seu poder e de neutralização de opositores internos. Em simultâneo, o aparelho estatal reforçou os meios de vigilância e de censura online e implementou um sistema de campos de reeducação na província de Xinjiang, para onde foram enviados milhares de uigures acusados de militância islamista e/ou simpatias separatistas.

 

A nível de política externa, sob a liderança de Xi Jinping, a China assumiu uma postura mais interventiva, seja na área económica – com o lançamento de um plano de uma “nova rota da seda” (uma iniciativa de múltiplas parcerias internacionais com vista ao desenvolvimento comercial e de modernização infraestrutural com diversos países africanos e asiáticos) – ou a nível geoestratégico (com reivindicações de soberania sobre a quase totalidade do Mar do Sul, por exemplo).

 

Em 2018, ano em que foi reconduzido para um segundo mandato, Xi Jinping viu ser aprovado o fim da limitação de mandatos para o cargo de presidente, abrindo caminho para a sua permanência no poder por tempo indefinido.
 

Como referenciar: Porto Editora – Xi Jinping na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-19 00:59:28]. Disponível em