Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Abadia Velha de Salzedas

Frei Baltazar dos Reis, cronista cisterciense do século XVII, legou-nos uma série de apontamentos, com base em recolhas documentais, sobre a história da comunidade de Salzedas, no concelho de Tarouca. Na sua opinião ter-se-iam instalado na área da atual freguesia, num mesmo tempo e coexistindo até finais da Idade Média, duas comunidades da ordem de Cister. A primeira, junto ao Varosa, denominada Santa Maria de Salzedas, teria antecedido a segunda e ficaria a ser conhecida, depois do seu abandono, por Nossa Senhora da Abadia Velha. A outra, erguida a pouca distância, a Abadia Nova de Argeriz, jaz sob os alicerces do atual convento de Salzedas. Esta narração viria a suscitar grande polémica entre os investigadores pois a regra de S. Bernardo impedia a fundação de abadias da ordem a menos de oito léguas entre elas. Erro ou confusão do cronista, este registo veio de novo à discussão, quando em 1969, na atual quinta da Abadia Velha, situada a pouca distância de Salzedas, numa baixa fértil e aplanada, circundada de montes, apareceram os alicerces de um edifício construído em grandes silhares siglados.
O interesse demonstrado pelo arqueólogo Manuel Real, e a atenção que dispensou a este tipo de vestígios arqueológicos medievais que, na altura, não eram merecedores de investigação por parte dos arqueólogos ou dos historiadores portugueses, vir-se-ia a revelar da maior importância como ficou demonstrado com a comunicação ao III Congresso Nacional de Arqueologia, em 1973.
O autor apresenta uma planta da abadia, uma descrição pormenorizada dos edifícios anexos, a identificação da oficina e ainda uma referência cronológica da maior importância. A igreja seria composta por três naves, transepto saliente e os pilares assimétricos na base. O remate da cabeceira é constituído por três absides retangulares escalonadas. No ângulo sudeste do transepto uma escada em caracol daria acesso a um campanário ou a um segundo piso. No mesmo local, mas rasgada na parede sul, uma porta daria acesso ao claustro, que nunca foi posto a descoberto.
Esta abadia teria sido fundada no terceiro quartel do século XII, a 20 de janeiro de 1168 e manter-se-ia ocupada até, pelo menos, os finais da Idade Média.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Abadia Velha de Salzedas na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 13:24:03]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais