Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Agência Internacional de Energia Atómica

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) é uma organização intergovernamental que foi estabelecida em 1956, de acordo com uma decisão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Embora disponha de uma organização autónoma, integra administrativamente a estrutura da ONU, a cuja Assembleia Geral deve apresentar anualmente um relatório de atividades.
A AIEA tem como objetivo principal assegurar que a investigação na área da energia atómica não se destina a fins militares. Pelo contrário, visa orientar as atividades relacionadas com essa forma de energia no sentido da paz, da saúde e da prosperidade mundiais.
As suas funções podem dividir-se em duas categorias principais: a cooperação tecnológica (assistência em pesquisas e aplicações práticas de energia atómica que não se destinem a fins militares) e a salvaguarda dos materiais, serviços, equipamentos e informação da Agência.
Logótipo da Agência Internacional de Energia Atómica
A AIEA tem 112 países-membros, entre os quais Portugal, e é financiada através das contribuições desses países. Em cooperação com a FAO, a Agência tem conduzido programas que levaram ao eficiente uso da água e de fertilizantes na agricultura, e ao controlo ou erradicação de insetos destrutivos pela introdução de insetos estéreis. Na área da cooperação com instituições ligadas à saúde, a Agência tem promovido o uso das técnicas nucleares aplicadas à medicina, como a terapia usada em doentes cancerígenos. Por outro lado, a Agência fornece ajuda prática aos países-membros no tratamento de lixo radioativo, através de um programa criado para o efeito em 1987.
A Agência é detentora de laboratórios na Áustria e no Mónaco, onde os seus cientistas se dedicam às pesquisas. Em Trieste, na Itália, existe um centro, pertencente ao Estado italiano, onde operam em conjunto a AIEA e a UNESCO.
Depois do grave acidente da central nuclear de Chernobyl, em abril de 1986, a Agência promoveu uma série de encontros destinados a refletir sobre as implicações do sucedido e sobre formas de melhorar a resposta a situações de emergência.
Nos anos 90, uma das funções da AIEA era zelar pela segurança e bom armazenamento, ou uso, de despojos nucleares resultantes do desarmamento, de forma a evitar acidentes graves, e controlar também a segurança nas zonas de testes nucleares, levados a cabo na Ásia Central e no Pacífico.
No início do século XXI, outra das grandes preocupações da AIEA é arranjar medidas contra a ameaça de guerra nuclear terrorista.
Pelos esforços levados a cabo na manutenção da paz, e na segurança e bom uso que a energia nuclear pode oferecer, a agência recebeu, juntamente com o seu presidente, Mohamed ElBaradei, o Prémio Nobel da Paz em 2005.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Agência Internacional de Energia Atómica na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 12:36:03]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros