Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Alcácer do Sal

Aspetos Geográficos
O concelho de Alcácer do Sal, do distrito de Setúbal, situa-se na Região do Alentejo (NUT II), no Alentejo Central (NUT III). Ocupa uma área de 1502,3 km2 e abrange seis freguesias: Santa Maria Castelo, Santa Susana, Santiago, Torrão, São Martinho e Comporta.
Este concelho apresentava, em 2005, um total de 13 716 habitantes.
Brasão do concelho de Alcácer do Sal
Vista superior da cidade de Alcácer do Sal, com o rio Sado
O natural ou habitante de Alcácer do Sal denomina-se alcacerense ou salaciano.
O concelho encontra-se limitado a norte por Vendas Novas e Montemor-o Novo do distrito de Évora, a noroeste pelos concelhos de Palmela e Setúbal, a sul e a oeste por Grândola, a este por Montemor-o-Novo e Viana do Alentejo, ambos no distrito de Évora e a sudeste por Ferreira do Alentejo e Alvito, ambos do distrito de Beja.
Possui um clima mediterrânico, com um período seco de cerca de 80 a 100 dias, durante o verão, em que a temperatura média varia entre os 23 °C e os 29 °C. No inverno, as temperaturas são amenas. Neste concelho existem algumas diferenças climáticas entre o litoral e o interior.
A sua morfologia é bastante plana, destacando-se somente como áreas de maior altitude a de Carrascais (105 m) e a da Cordoeira (149 m).
Os recursos hídricos são bastante abundantes, sendo de referir o rio Sobrena, o rio Sado, o rio Xarrama, a ribeira do Areão, a ribeira Algalé, a ribeira da Ursa e a ribeira de São Domingos. Destaca-se ainda a barragem de Vale de Gaio e a barragem do Pego do Altar.
As terras deste concelho fazem parte da Reserva Natural do Estuário do Sado, dado possuírem uma grande riqueza de vida animal e várias atividades económicas tradicionais, tais como pesca, atividade salineira, resinosa e corticeira. A Reserva Natural do Estuário do Sado abrange uma grande área de zona húmida que inclui o rio, zonas de lodo e sapais. Outros recursos de interesse desta área natural são os vestígios arqueológicos e as dunas de Troia.
História e Monumentos
Nas terras deste concelho existem vestígios anteriores à ocupação romana (anta de S. Fausto). O romano Plínio faz-lhe referência no século II a. C., elogiando a sua abundância de trigo e vinho.
Em 715, foi conquistada pelos Árabes, que a ocuparam durante 400 anos sendo a capital da província de Al-Kassar. Com a ocupação árabe a denominação destas terras passou a ser Alcácer e porque foi outrora um grande centro produtor de sal, hoje é designada Alcácer do Sal.
Em 997 terá sido aqui preparada a grande armada que apoiou Almançor no seu avanço terrestre em direção a Compostela, saindo destas terras para aportar em Portucale (Porto), onde desembarcaram os efetivos militares e respetivos armamentos, reunindo-se todos antes do último avanço para o Norte.
Estas terras foram tomadas definitivamente aos árabes pelo rei D. Afonso II, a 21 de outubro de 1219.
Já havia recebido foral por D. Afonso II e, em 1516, foi-lhe outorgado novo foral por D. Manuel I.
Em 1220, Alcácer ficou ligada à Ordem de Santiago, pois passou a ser a localidade sede da Ordem, que mais tarde foi transferida para Mértola.
Ao nível do património arquitetónico, destacam-se o castelo de Alcácer do Sal (de Taipa), do qual subsistem alguns panos de muralha de taipa e alvenaria que circundam parte da vila. A alcáçova foi adaptada a convento; as ruínas do convento e a Igreja de Santa Maria do Castelo, de estilo romano-gótico do século XIII, foram integralmente recuperadas e adaptadas a pousada de luxo pela ENATUR.
Merecem referência, também, a Igreja de Santiago, do século XVIII, de estilo barroco; a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção, do século XVI, de estilo manuelino, reconstruída no século XVII em estilo barroco e a Igreja Matriz de Santa Maria do Castelo de Alcácer do Sal, dos séculos XII-XIII, de estilo românico.
Tradições, Lendas e Curiosidades
São muitas as manifestações populares e culturais do concelho: a festa de S. João, realizada a 24 de junho; a festa de S. Martinho a 11 de novembro; a festa dos Santos Populares, de quatro em quatro anos, durante a qual decorre também uma feira de atividades económicas, e a Feira Nova, de promoção económica e cultural, no primeiro sábado de outubro.
No artesanato merecem destaque os carachos e esteiras em tábua, as miniaturas em cortiça e em madeira, o ferro forjado, as rendas, os bordados e a cestaria.
Como figuras ilustres naturais do concelho, destaca-se Pedro Nunes (1502-1578), notável matemático e inventor do nónio; e Bernardim Ribeiro, novelista e poeta, nascido na vila do Torrão, no século XVI.
Como curiosidade, de referir que a povoação teria a designação de Salacia na época dos Romanos, passando a Alcácer por influência árabe e, mais tarde, Alcácer do Sal, dado a riqueza e importância da exploração de salinas.
Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor primário, seguidas do secundário, nas áreas de serralharia mecânica, carpintaria, serração de madeira, marcenaria, panificação e construção civil, e só depois o terciário. A economia do concelho ainda se encontra dependente das atividades agrícolas, contudo nos últimos anos tem-se verificado um decréscimo na importância do setor primário em detrimento dos setores secundário e terciário.
Na agricultura predominam os cultivos de cereais para grão, prados temporários e culturas forrageiras, culturas industriais, pousio, olival, prados e pastagens permanentes. A pecuária é também uma atividade forte, nomeadamente na criação de suínos, ovinos e bovinos.
Cerca de 34,9% do território do concelho corresponde a área agrícola e 21 151 ha correspondem a área de floresta.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Alcácer do Sal na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-06-29 05:48:19]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais