Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Aldeia

Obra da autoria de Afonso Ribeiro, editada em 1943, cujo título remete desde logo para um protagonista coletivo, a aldeia, evocada enquanto espaço físico e social. Partindo de um desenho esquemático, o romancista opõe, a um lado, trabalhadores rurais e rendeiros, e do outro, os senhores da terra; antinomia a que corresponde a oposição de espaços: os primeiros, num "quelho" em casas miseráveis; os segundos, em habitações amplas. Visando a desmistificação de uma visão idílica do mundo rural, a uns e outros são, porém, comuns vícios, ignorância e miséria moral, fixando com dureza algumas das suas figuras: o Saraiva, aproveitando o desespero de alguns pobres proprietários para lhes lançar hipotecas e aumentar as propriedades; Gaudêncio ou as Feio conduzidos a uma cada vez maior dureza e secura pela fome e pela pobreza. Mau grado esta nítida intencionalidade, o romance revela grande mestria num ficcionista que optou por dotar cada capítulo de uma certa autonomia e pela, consequente, não linearidade do discurso narrativo.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Aldeia na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-11 16:48:51]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais