Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Alexandra Lencastre

Atriz portuguesa, nascida a 26 de setembro de 1965, em Lisboa, frequentou o Curso de Representação no Conservatório Nacional. Iniciou a sua carreira como atriz no teatro, tendo recebido o SETE de Ouro como Atriz Revelação e o Prémio de Revelação da Nova Gente pelo seu desempenho na peça O Balcão (1989), de Jean Genet, e novamente o SETE de Ouro de Melhor Atriz pela peça Terminal Bar (1996), de Paul Zelig, e o Troféu Nova Gente 97 - Personalidade Teatro. O seu primeiro papel televisivo foi vocacionado para um público mais jovem que a via regularmente na série Rua Sésamo (1990-93), interpretando a personagem Guiomar. Seguiram-se interpretações na telenovela A Banqueira do Povo (1993), em séries como Tudo ao Molho e Fé em Deus (1995), Riscos (1997), Médico de Família (1998), Não És Homem, Não És Nada (1999), Querido Professor (2000), no telefilme da SIC Um Passeio no Parque (2000) e Ana e os Sete (2003), bem como participação nos talk-shows Na Cama Com... (1993), Perdoa-me (1994) e Frou-Frou (1997). No cinema, Alexandra Lencastre interpretou várias personagens, em filmes como Requiem Para um Narciso (1992), de João Pedro Ruivo; No Fim do Mundo (1992), de João Mário Grilo; Vertigem (1992), de Leandro Ferreira; As Três Palmeiras (1994), Tráfico (1998) e A Mulher Que Acreditava Ser Presidente dos Estados Unidos da América (2003), todos de João Botelho, Os Mutantes (1998), de Teresa Villaverde, The Dancer Upstairs (Em Clandestinidade, 2001), de John Malkovich, O Delfim (2002) e Lá Fora (2004), ambos de Fernando Lopes.
A atriz portuguesa Alexandra Lencastre
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Alexandra Lencastre na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-14 01:34:16]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais