Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Alphonse Allais

Escritor humorista francês, Alphonse Allais nasceu a 20 de outubro de 1854, em Honfleur, junto à foz do Rio Sena. Filho de um farmacêutico, estagiou na botica do pai, logo após ter concluído o seu bacharelato em Ciências, com apenas dezassete anos de idade.
A sua predisposição para o humor desagradou à integridade do seu pai, já que o jovem Alphonse se dedicava a experiências químicas ousadas, prescrevia placebos e dava conselhos ardilosos aos clientes. Reza a lenda que apareceu na farmácia uma cliente que se queixava de qualquer coisa que lhe subia e descia pela garganta, ao que Allais acabou por lhe perguntar se não teria porventura engolido um elevador. O pai decidiu enviá-lo então para Paris para estagiar numa farmácia. Na capital francesa o jovem caiu nas malhas da vida boémia, nunca chegando a acabar os seus estudos.
Apesar de tudo, começou a colaborar para o jornal Le Chat Noir a partir de 1882, ascendendo até à posição de redator principal. Durante o quarto de século seguinte, Alphonse Allais trabalharia em sete jornais diferentes, escrevendo em média dois a três contos por semana. Deixando sempre a sua escrita para a última da hora, deambulando pelos cafés de Paris, Allais escreveu ao todo cerca de 1860 contos.
Alphonse Allais, escritor humorista francês
Grande parte da sua obra tornou-se obsoleta, pela alusão a acontecimentos que lhe foram contemporâneos e que requerem um entendimento histórico para que os escritos possam ser totalmente compreendidos. Não obstante, do seu humor lógico, mas baseado em falsas premissas, destacam-se On N'Est Pas Des Boeufs (1896), L'Affaire Blaireau (1899) e o célebre Captain Cap (1902, O Capitão Cap).
Apaixonado pelo humor, dedicou parte da sua vida à invenção de ideias absurdas, como a reciclagem dos confetti, obuses repletos de pó de mico, algodão preto para os ouvidos de pessoas em luto e o aquário em vidro despolido para peixes tímidos.
Alphonse Allais faleceu em Paris, vítima de uma embolia, a 28 de outubro de 1905.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Alphonse Allais na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-14 00:36:18]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros