Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Ana Paula Tavares

Poetisa e historiadora angolana, Ana Paula Tavares, oriunda da cidade do Lubango, Huíla, nasceu em 1952.
Licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, aí fez o mestrado em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa.
Entre 1983 e 1985, coordenou o Gabinete de Investigação do Centro Nacional de Documentação Histórica, em Luanda.
Ana Paula Tavares, poetisa e historiadora angolana
Membro da União de Escritores Angolanos, fez parte do júri do Prémio Nacional de Literatura de Angola entre 1988 e 1990.
Do seu currículo profissinal constam vários cargos, que passam pelo Ensino, a Museologia, o Património, a Animação Cultural, a Arqueologia e a Etnologia, sendo frequentemente convidada para participar em simpósios e congressos nacionais e internacionais. É também responsável pela elaboração de diversos projetos culturais e membro de diversas organizações, a saber: Associação Angolana do Ambiente (AAA); Comité Angolano do Conselho Internacional de Museus (ICOM); Comité Angolano do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS) e Comissão Angolana para a Unesco.
Ao lado de outros investigadores, deu corpo ao levantamento e estudo de documentação relevante para a História de Angola, tombada nos arquivos portugueses. Integra também o projeto "A apropriação da escrita pelos Africanos" do Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga (CEHCA).
Como colaboradora da RDP África, apresenta uma crónica semanal sobre História, Literatura e Cultura.
Ana Paula Tavares vive em Lisboa e é docente na Universidade Católica.
Integrando a geração de 80 - a "novíssima geração" -, Ana Paula Tavares é uma das vozes femininas angolanas que tem, desde sempre, manifestado uma grande preocupação com a condição da mulher no seu país. A autora usa a palavra poética através de um "sujeito poético" feminino, como veículo de denúncia e de libertação da carga tradicional, enquanto jugo opressor da mulher africana. Situado espacial e temporalmente, este "eu" feminino vai enformando, como diz a própria autora, as preocupações que se prendem com o "ser mulher numa sociedade africana" como a angolana: "Cresce comigo o boi com que me vão trocar/Amarraram-me já às costas, a tábua Eylekessa/ Filha de Tembo/organizo o milho/Trago nas pernas as pulseiras pesadas/dos dias que passaram?"
Assumidamente feminina, mas não feminista, a poesia de Paula Tavares estrutura-se em redor do núcleo temático da Mulher, através da simbologia das cores, da metaforização de frutos e de ornamentos, de clichés que assentam numa mistura da religiosidade cristã com a realidade africana, de que é exemplo o seu poema Manga :"Fruta do paraíso/companheira dos deuses/as mãos/tiram-lhe a pele/dúctil/como, se de mantos/ se tratasse/surge a carne chegadinha/fio a fio", cuja visão erótica se prende, no entender da autora para quem "a mulher africana tem uma relação natural com o seu próprio corpo", apenas com uma focalização exterior à realidade africana.
Com três livros de poesia publicados, a autora figura em vários jornais e revistas de Angola, Galiza, Brasil, Cabo Verde e Portugal. O seu nome foi um dos escolhidos para integrar as antologias de Lopito Feijoó Poesia Angolana de Amor dos Anos 80, editada em 1991, e Meditando. Textos de Reflexão Geral Sobre Literatura, de 1994.
Historiadora reconhecida, publicou em 1999 na revista luandense "Fontes e Estudos", vários ensaios sobre a História de Angola.
Escreveu os seguintes livros: Ritos de Passagem, 1985 (poesia); O Sangue da Buganvília, 1998 (crónicas); O lago da Lua, 1999 (poesia) e Dizes-me Coisas Amargas Como Os Frutos, 2001(poesia).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Ana Paula Tavares na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-04 11:46:00]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais