Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

André Breton

Escritor francês, nascido em 1896 e falecido em 1966, teórico do Surrealismo, escreveu em 1919, em colaboração com o poeta Soupault, o primeiro texto surrealista Les Champs magnetiques.

A leitura de Freud e Lautréamont foram decisivas, orientando-o para as primeiras experiências do sono hipnótico, fundadoras da pesquisa surrealista. A exploração do inconsciente e a conquista de uma nova linguagem criam um novo caminho para a poesia; o sonho e a escrita automática tornam-se os meios de aceder a um surreal liberto da lógica causal.
André Breton

No Premier Manifeste du Surrealisme, publicado em 1924, onde Breton define pela primeira vez o movimento, a poesia surge como único meio de o Homem combater as forças que o oprimem, tanto sociais, como económicas, filosóficas ou religiosas.

Ao Racionalismo opõe a loucura fecunda de Nadja (1928), reveladora de uma atividade fantástica do espírito: o insólito da realidade quotidiana apreendido com um novo olhar. Em 1927 adere ao Partido Comunista Francês e inicia uma atividade intelectual politicamente implicada.

A publicação em 1935 de Position politique du surrealisme marca a rutura com os comunistas, mais concretamente com o Estalinismo. Depois da proibição da publicação da sua Anthologie de l'humour noir em 1940, Breton deixa a França e parte para os Estados Unidos da América. De volta a Paris organiza duas exposições internacionais do Surrealismo, uma em 1947 e outra já em 1965.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – André Breton na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-02 00:32:10]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais