Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

António Braz Teixeira

Historiador filosófico e professor universitário português, António Manuel da Assunção Braz Teixeira nasceu em 1936, em Lisboa.
Formou-se em Direito pela Universidade de Lisboa, onde iniciou também a sua carreira como professor, tendo posteriormente passado a exercer as funções de docente, na Universidade Autónoma de Lisboa e na Universidade Internacional, também na capital portuguesa.
Para além disso, desempenhou funções políticas, tendo sido secretário de Estado da presidência do Conselho de Ministros, em 1980, e secretário de Estado da Cultura, em 1981. Foi também diretor do Teatro D. Maria II e vice-presidente do Conselho de Gerência da Radiotelevisão Portuguesa (RTP). Desde 1992 é presidente da Imprensa Nacional da Casa da Moeda, onde procura divulgar a obra dos pensadores portugueses e a cultura brasileira.
Como historiador, valoriza a historiografia das ideias filosóficas e jurídicas portuguesas, tendo criado a revista Cultura Portuguesa e Nomos - Revista Portuguesa de Filosofia do Direito e do Estado. António Braz Teixeira é um grande impulsionador do diálogo entre Portugal e Brasil, como um dos principais elementos que contribuiu para a criação do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, em 1991, em Lisboa. Dinamizou a realização, em Portugal, de uma bianual dos colóquios "Tobias Barreto", com o objetivo de aprofundar os conhecimentos sobre os pensadores brasileiros e respetivas relações com a cultura portuguesa.
Membro de várias instituições e sociedades de investigação científica, colabora também em diversos ensaios e artigos filosóficos sobre a historiografia das ideias. Das publicações períodicas em que participou, destaca-se, entre muitas, a Revista Brasileira de Filosofia, Revista Portuguesa de Filosofia, Nova Renascença, Didaskalia, Reflexão, Ciências Humanas. Das inúmeras obras publicadas salientam-se A Guerra Justa em Portugal (1955), O Pensamento Filosófico-Jurídico Português (1983), Caminhos e Figuras da Filosofia do Direito Luso-Brasileiro (1991), Deus, o Mal e a Saudade: Estudos sobre o Pensamento Português e Luso-Brasileiro Contemporâneo (1993), Espelho da Razão: Estudos sobre o Pensamento Filosófico Brasileiro (1997). A obra deste estudioso português foi objeto de análise, por parte de Leonardo Prota, no 7.º Encontro de Professores e Pesquisadores de Filosofia Brasileira, no Brasil, em 2001.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – António Braz Teixeira na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-20 03:09:28]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais