Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

António Patrício

Frequentou, no Porto, o curso de Matemática da Academia, e, em Lisboa, a Escola Naval, acabando por se formar em Medicina. Após a proclamação da República, encetou uma carreira diplomática, tendo, como cônsul ou acompanhando legações, vivido em Cantão, Manaus, Constantinopla, Caracas, Londres. Colaborou em publicações como A Águia, Límia ou Atlântida. Revelou-se como poeta, com a publicação de Oceano, mas afirmou-se sobretudo como um dos maiores representantes portugueses da dramaturgia simbolista. Para Luiz Francisco Rebello, embora na sua criação dramática "sejam evidentes as aproximações com os grandes nomes do simbolismo - a conceção do "drama estático" de Maeterlinck, o preciosismo verbal de D'Annunzio, a carga poética de Yeats -, há no teatro de Patrício uma ressonância humana a que a presença, latente ou manifesta, mas sempre obsidiante, da morte confere uma verdadeira dimensão trágica" (REBELLO, Luiz Francisco - 100 Anos de Teatro Português (1880-1980), Porto, ed. Brasília, 1984, p. 108).
António Patrício
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – António Patrício na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-12 09:25:53]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros