Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

apóstrofe

Figura de estilo em que o sujeito enunciador do discurso interpela um interlocutor, real, ficcional ou simbólico, que pode ser o leitor/ouvinte, uma entidade divina ou uma personagem. A apóstrofe, também designada por invocação, é conseguida através do uso do vocativo em discurso direto e destina-se a conferir vivacidade e realismo ao discurso, aproximando-o de uma interação dialógica. Embora mais raramente, pode ocorrer apóstrofe através do discurso indireto. São exemplos de apóstrofe, os excertos seguintes (a negrito), o primeiro invocando o "mar salgado" e o segundo invocando Deus à semelhança de uma prece:
"Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!"
(Fernando Pessoa, "Mar Português", in A Mensagem)
"Oh rei dos reis, oh árbitro do mundo,
Cuja mão sacrossanta os maus fulmina,
E a cuja voz, terrífica e divina,
Lúcifer treme, no seu caos profundo;
Lava-me as nódoas do pecado imundo,
Que as almas cega, as almas contamina (...)
De mim próprio me livra, oh Deus supremo!
Porque o meu coração propenso ao vício,
É, Senhor, o contrário que mais temo!"
(Bocage, "Afetos de um coração contrito", in Poesias de Bocage, 1992, Lisboa: Ed. Comunicação)
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – apóstrofe na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-22 15:59:33]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais