Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Arraia-Miúda

A ideia de evocar a revolução popular de 1383 nasce nesta peça de Jaime Gralheiro como símile da revolução popular de abril, aproximação apresentada pelo autor, desde logo, no "recado" que antecede o texto dramático: "Ao escrevê-la, pensava na luta que o Povo português tem vindo a desenvolver pela sua libertação, ao longo de quase novecentos anos de nacionalidade; pensava, também, no pouco que tem conseguido e no muito que terá de fazer para jogar fora a canga que lhe puseram e à qual (às vezes) parece já estar habituado; pensava, ainda, no ranço deste caldo cultural em que sempre tem vivido, todo ele feito de paternalismos senhoriais, medos míticos, crendices sacralizadas, obscurantismos cultivados...". Por isso, de histórica, a peça, redigida em 1975 e representada em 1976, no rescaldo da revolução de abril, acaba por resultar em flagrante atualidade: "O Povo de Lisboa / Tomou a Revolução. / Foram anos e anos a sonhar, / Foram anos e anos a lutar / Na longa escuridão..." Embora o seu objetivo não seja exatamente a reconstituição histórica, mas uma perspetiva histórica elaborada à luz da dialética histórica, ou, como afirma em "Nota prévia", "mostrar a Revolução de 1383 através dos olhos de alguém que vive aqui, em Portugal. Hoje.", o dramaturgo teve o cuidado de "reconstruir o complexo jogo de influências de grupos sociais na revolução: os grandes nobres, os mercadores, os prestamistas judeus, a pequena nobreza revolucionária, o rei, o mestre, a Igreja e o povo mais humilde, a arraia-miúda, que, em certo momento, sob o impulso dum tanoeiro, teve de tomar a iniciativa" (da contracapa de Arraia-Miúda, Lisboa, 1977).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Arraia-Miúda na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-01 14:38:59]. Disponível em

Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros