Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Artes Liberais

Como artes liberais conhecem-se a Lógica, a Gramática, a Retórica, a Geometria, a Astronomia, a Música e a Aritmética, exercícios que apelam ao intelecto, em vez de se utilizar a técnica. Na Franco-Maçonaria integram as alegorias do grau de Companheiro, entre outros. As artes liberais começaram a ser estudadas e sistematizadas na Antiguidade clássica grega e romana, sendo o conceito retomado na Idade Média europeia. Nesta altura, estruturaram-se as artes liberais no Trivium (que incluía a Gramática, a Retórica e a Lógica/Dialética) e no Quadrivium (que compreendia a Música, a Astronomia, a Geometria e a Aritmética). O estudo destas artes constituía a base para qualquer pessoa que quisesse aceder ao ensino superior e modelaria sistema curricular de ensino nas universidades medievais. Estas disciplinas foram algumas das apontadas por Santo Agostinho quando, na obra De doctrina christiana, fala da necessidade de criar um livro que reúna os diversos âmbitos do saber. A importância que estas artes adquiriram na época medieval foi acentuada com a descoberta de obras que até aí não tinham despertado grande interesse, como o De interpretatione e Categorias de Aristóteles, contributos essenciais para o estudo da Gramática e da Lógica. A Retórica foi, por seu lado, tanto mais valorizada quanto se foi desenvolvendo e tornando mais importante a pregação e difusão da doutrina cristã, com acentuação especial a partir do surgimento do Protestantismo. A Música foi também, a partir da Idade Média, altura em que surgiu a notação musical, um âmbito em que a evolução se tornou premente, principalmente devido à sua ligação estreita com a liturgia católica. Entre os estudioso destas artes destacaram-se Aristóteles, Cícero (que considerou estas artes como fundamentais para a formação intelectual do homem livre, por oposição aos que trabalhavam com as mãos, servos), Cassiodoro, Santo Isidoro de Sevilha (que tratou sobre elas nas suas "Etimologias", livros I a III), Rábano Mauro, e Hugo de S. Vítor.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Artes Liberais na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-17 12:41:40]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais