Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros
< voltar
< 1 min

Bassorá

Cidade capital da província de Muhafazat al Basrah, situada na margem ocidental do Shatt al Arab, um rio formado pela convergência dos rios Tigre e Eufrates, constituindo o porto principal do Iraque. A população da cidade ronda 1 477 200 habitantes.
Nas décadas posteriores à Segunda Guerra Mundial, o seu desenvolvimento foi muito assente na indústria petrolífera. Contudo, durante a Guerra Irão/Iraque, a cidade e as suas refinarias tiveram grandes danos, fechando o porto em 1980. A guerra terminou somente em 1988. Passados poucos anos, em 1991, durante a Guerra do Golfo, a cidade sofreu novos danos e o motor económico que sustentava a cidade, a exportação de petróleo, foi de tal forma afetado que os padrões de vida dos seus habitantes passaram a ser muito débeis.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Bassorá na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-20 03:00:22]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros