Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Bob Hoskins

Ator inglês, Robert William Hoskins nasceu a 26 de outubro de 1942, na pequena cidade inglesa de Bury Saint Edmunds, filho duma auxiliar de cozinha e de um funcionário público. O mau relacionamento entre os seus pais levou-o a fugir de casa quando tinha apenas 15 anos. Para sobreviver, foi um verdadeiro "homem dos sete ofícios": lavador de janelas, motorista de camiões, trabalhador circense e contabilista. O gosto de representação despertou em 1967 quando subiu aos palcos de um teatro amador para participar na peça Featherpluckers. Gradualmente, os críticos começaram a elogiar o seu talento natural, visto Hoskins nunca ter tido lições de Artes Dramáticas. Foi chamado à televisão, participando em diversas soap operas. A sua estreia no cinema deu-se em 1973 e foi discreta: um papel secundário em The National Health. O seu primeiro papel significativo foi interpretar um ator de filmes pornográficos em Inserts (1976), ao lado de Richard Dreyfuss. Contudo, o filme foi enxovalhado pela crítica e mereceu pouca afluência de público. Hoskins lavaria a cara em The Long Good Friday (A Sexta-Feira Mais Longa, 1979), no papel dum mafioso londrino. Em seguida, participou na versão cinematográfica de The Wall (Pink Floyd, the Wall, 1982). Francis Ford Coppola interessou-se pelo seu trabalho e convenceu-o a interpretar um papel secundário em Cotton Club (1984). Iniciou-se assim a carreira de Hoskins em Hollywood, abrilhantada pela sua nomeação para o Óscar de Melhor Ator por uma forte interpretação num filme que passou quase despercebido: Mona Lisa (1986). Aqui, vestiu a pele de George, um ladrão revoltado com a vida, que sai da cadeia, arranjando emprego como motorista duma call-girl. Perdeu o galardão para Paul Newman, mas vingou-se, vencendo o prémio de interpretação no Festival de Cannes. De seguida, associou-se a um dos maiores êxitos de sempre, contracenando com figuras de animação em Who Framed Roger Rabbit? (Quem Tramou Roger Rabbit?, 1988). A sua incursão na realização com The Raggedy Rawney (Mais Forte Que o Medo, 1989) não correu bem e Hoskins viu-se obrigado a dedicar-se exclusivamente à sua carreira de ator. Spielberg chamou-o para ajudante do Capitão Gancho em Hook (1991); encarnou o herói da Nintendo em Super Mario Bros. (1993); protagonizou Felicia's Journey (1999), um thriller de Atom Egoyan; fez parte de Enemy at the Gates (Inimigo às Portas, 2001), uma das mais caras superproduções europeias; e participou em Vanity Fair, um romance realizado por Mira Nair em 2004.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Bob Hoskins na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-05 04:13:14]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais