Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Bolsa de Derivados

Mercado bolsista organizado, em tudo semelhente à Bolsa de Valores, mas em que se transacionam não valores mobiliários mas antes produtos derivados (tomam este nome porque o ativo que se transaciona não são eles próprios mas um outro ativo). Os principais (embora não os únicos) contratos de derivados são os contratos de futuros e os de opções.
Um futuro é um contrato em que o vendedor se compromete a entregar ao comprador um dado ativo (em quantidade e qualidade pré-determinadas), numa data futura e a um preço acordado à data da celebração do contrato, tendo o comprador que pagar a quantia estabelecida.
Uma opção é um contrato no qual uma das partes obtém o direito (mas não a obrigação) de comprar ou vender uma dada quantidade e qualidade de um ativo numa data futura, a um preço fixado quando se firma o contrato. Se o comprador entender que deve exercer o contrato (isto é, comprar ou vender no final do prazo acordado), o vendedor é obrigado a cumprir o que lhe é exigido (a vender ou a comprar, respetivamente). Isto é, uma opção é um contrato assimétrico, na medida em que uma das partes (o comprador) fica claramente em situação de superioridade em relação à outra (o vendedor), já que o primeiro tem o direito de exercer o contrato, enquanto este tem o dever de efetuar a contra-prestação, se o comprador assim o entender.
Se uma opção dá ao seu vendedor o direito de vender um dado ativo, trata-se de uma opção de venda (uma put option, na terminologia anglo-saxónica). Inversamente, se lhe confere o direito de vir a comprar algo, é uma opção de compra (uma call option).
Existem contratos de futuros e opções sobre os mais variadíssimos ativos: desde mercadorias (produtos agrícolas, metais preciosos, produtos energéticos, etc.) a ativos intangíveis (como divisas, índices de ações, taxas de juro), passando por futuros e opções sobre ações e outros títulos usualmente transacionados nas Bolsas de Valores.
De entre as inúmeras Bolsas de Derivados espalhadas pelo mundo inteiro, as mais importantes (em volume de transações) são o Chicago Board of Trade, o Chicago Mercantile Exchange e o New York Mercantile Exchange.
No caso português, a única entidade desta natureza é a Bolsa de Derivados do Porto (BDP). Nascida em 1996, apresenta atualmente transações em três contratos de futuros: o contrato PSI-20 (índice de ações do mercado de cotações oficiais), o OT-10 (taxas de juro de longo prazo) e o LISBOR (taxas de juro de curto prazo).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Bolsa de Derivados na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-02 01:50:36]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais