Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

bridge

O bridge é um dos jogos de cartas mais praticado no mundo, tanto para divertimento como para competição, e senta à mesa quatro jogadores, que formam duplas. Para jogar bridge é necessário um baralho de 52 cartas, em que cada naipe de 13 tem um valor que está hierarquizado da seguinte maneira: espadas é o que vale mais, seguido de copas (os naipes ricos), ouros e paus (naipes pobres). As regras indicam o Ás como o mais valioso, seguido de Rei, Dama, Valete, 10 (cartas de honra), 9, progressivamente, até ao duque.
Os parceiros, sorteados entre os participantes, sentam-se frente a frente e são referenciados pelos pontos cardeais: norte e sul jogam contra este e oeste. O jogador que na escolha do par tirou a carta mais alta escolhe a sua posição e distribui o jogo, depois do seu parceiro ter baralhado as cartas.
Cada jogador deve colocar as cartas na mão por ordem de valor e separadas por cores para evitar confusões.
Baralho de cartas tradicional
O objetivo do jogo, que se movimenta no sentido do ponteiro dos relógios, é ganhar vazas, estando treze em disputa em cada rodada.
Um dos jogadores declara qual dos quatro naipes é trunfo, o que torna as cartas desse grupo mais valiosas, ou se não há trunfo, opção a tomar quando as cores estão muito distribuídas. O jogador à sua esquerda deita então a primeira carta e os outros, se possível, devem responder com cartas do mesmo naipe. Ganha a vaza quem jogar a carta mais alta ou um trunfo. O vencedor tem o direito a lançar a carta inicial da rodada seguinte e assim sucessivamente até à 13ª.
O bridge é um jogo de origem inglesa que descende da mistura de outros, essencialmente de um chamado triumph (triunfo), cuja designação, mais tarde, daria origem a trump. O trump surgiu no século XVI e acabou por dar origem ao whist, sobre o qual apareceram as primeiras referências em 1529. Este jogo tornou-se muito popular em meados do século XVIII na alta sociedade da Europa e dos Estados Unidos da América. Durante o século XIX diversas alterações aplicadas ao whist deram origem ao bridge. Foi por volta de 1890 que o whist se transformou em bridge whist. Este último, ainda na primeira década do século XX, passou a ser conhecido por bridge de leilão, onde um dos participantes se propõe a conquistar um número de vazas determinado previamente. A variante de acordo começou a desenvolver-se a partir de 1925-26, em Nova Iorque, e embora muito similar à de leilão tem algumas diferenças a nível de pontuação.
Ainda a partir da década de 30, uma forte campanha publicitária fez do bridge o jogo de cartas mais popular na Europa e Estados Unidos.
Em finais do século XX, havia mais de 100 milhões de jogadores de bridge em todo o Mundo. Em Portugal existem alguns apreciadores deste jogo, o que levou à criação de uma federação.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – bridge na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-11 18:28:03]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros