Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Castelo de Portalegre

Bonita cidade do Alto Alentejo, Portalegre é marcada pelo contraste da pedra escura das muralhas do seu castelo e do casario branco que se espraia em redor. A antiga fortaleza medieval foi sendo, gradualmente, desmantelada, sobrevivendo da sua outrora grandeza alguns trechos de muralha, certas torres de vigia e escassas portas do perímetro defensivo.
Até ao século XIII não se pode, com segurança, traçar a história do castelo de Portalegre. Nesta centúria, D. Afonso III concedeu foral à vila alentejana, para, no reinado seguinte, D. Dinis proceder à construção da sua fortaleza, motivado pelo aumento populacional e pela defesa da fronteira com Castela.
Portalegre está no centro de um diferendo entre D. Dinis e o seu irmão, o infante D. Afonso. O pai de ambos, D. Afonso III, deixara em testamento a seu filho D. Afonso o senhorio de Portalegre, Marvão, Castelo de Vide e Arronches, para além de outras terras. Entretanto, três das filhas do infante D. Afonso vieram a casar-se com fidalgos castelhanos, pelo que D. Dinis temia que, por herança, estas vilas de fronteira mudassem de mãos. Assim, D. Dinis decidiu cercar Portalegre, Arronches e Marvão, caindo a praça-forte de Portalegre em outubro de 1299. O infante D. Afonso assinou um acordo com o seu irmão, mediado pela Rainha Santa Isabel, retornando estes senhorios fortificados da fronteira alentejana à Coroa portuguesa. Como compensação, D. Dinis entregava a seu irmão o senhorio de Sintra, Óbidos e outras localidades da região de Lisboa. Deste modo, Portalegre ficava, definitivamente, sob a jurisdição da casa real portuguesa.
Interior do Castelo de Portalegre
Tentadoras promessas foram feitas a Portalegre por uma das fações na Guerra da Sucessão à Coroa espanhola, decorria o início do século XVIII. Como consequência, a sua praça-forte seria ocupada, temporariamente, em 1704, por partidários hispano-franceses de Filipe V.
Sofrendo posteriores remodelações, o castelo erguido em tempo de D. Dinis era formado por dupla muralha, reforçada por doze torres e compreendendo oito portas - denominadas respetivamente Deveza, Postigo, Alegrete, Elvas, Évora, Espírito Santo, São Francisco e do Bispo. No ponto mais alto da cidade ergue-se a robusta Torre de Menagem, de dois andares, com abóbadas, janelas e portas do gótico ogival. Em frente, conserva-se parte da praça de armas, ainda com vestígios de volumes arquitetónicos e duas poderosas torres angulares.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Castelo de Portalegre na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-16 10:59:55]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais