Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Castro Daire

Aspetos Geográficos
O concelho de Castro Daire, do distrito de Viseu, ocupa uma área de 379,1 km2 e abrange 22 freguesias: Almofala, Alva, Cabril, Castro Daire, Cujo, Ermida, Ester, Gafanhão, Gosende, Mamouros, Mezio, Mões, Moledo, Monteiras, Moura Morta, Parada de Ester, Pepim, Picão, Pinheiro, Reriz, Ribolhos e São Joaninho.
O concelho apresentava, em 2005, um total de 16 836 habitantes.
Entrada de Castro Daire
Brasão do concelho de Castro Daire
O natural ou habitante de Castro Daire denomina-se castrense.
O concelho encontra-se limitado a norte pelos concelhos de Lamego, Resende e Cinfães; a oeste pelo de Arouca, no distrito de Aveiro; a sudoeste pelo de S. Pedro do Sul; a este pelos de Tarouca e Vila Nova de Paiva e a sul pelo de Viseu.
Possui um clima marítimo de transição, em que a disposição dos maciços montanhosos permite a penetração de ar marítimo, sendo estas áreas geralmente mais chuvosas e amenas do que as mais interiores.
A sua morfologia é acidentada, destacando-se como áreas de maior altitude a serra da Cascalheira (1037 m), a serra de Bigorne (1210 m) e a serra de Montemuro (1381 m).
Como recursos hídricos, possui o rio Paiva, o rio de Mel e a ribeira de Mós. Referência também para as termas do Carvalhal, cuja água é mineromedicinal. As águas das termas do Carvalhal são captadas entre 40 e 60 metros de profundidade, em furos devidamente isolados, e estão classificadas como sulfúreas, bicarbonatadas, sódicas e fluoretadas, sendo indicadas terapeuticamente para doenças reumáticas, músculo-esqueléticas e dos aparelhos respiratório e digestivo, e para problemas de ginecologia e dermatologia.
História e Monumentos
A história deste concelho está ligada aos inícios da nacionalidade portuguesa. O território do atual concelho de Castro Daire era dominado por um extenso julgado, o Julgado da Terra de Moção.
Estava dividido em duas metades: a ocidental, que era toda património real, como confirmam as Inquirições, pagando-se a eirada, jugada e outros impostos em géneros que sobrecarregaram extraordinariamente estas povoações de parcos recursos, sendo por isso frequente a fome; e a oriental, que pertenceu a Egas Moniz, o amo de Afonso Henriques. A Egas Moniz pertenceu, aliás, grande parte do atual concelho de Castro Daire, pois ele teve na sua posse as terras de Mezio e Vale do Conde, Mões, Moledo e Gosende.
No século XIV, D. Pedro, o conde de Barcelos, era senhor destas terras; depois a sua posse passou para o seu filho, o conde de Viana, acusado de traição em 1385 e destituído do senhorio das honras em favor de João Rodrigues Pereira.
Teve foral em 1514, por D. Manuel.
Ao nível do património arquitetónico, destacam-se a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, a Igreja Matriz de Ermida, dos séculos XII-XIII, em estilo românico, o Santuário da Senhora da Ouvida e a Capela das Carrancas.
Tradições, Lendas e Curiosidades
São em grande número as manifestações populares e culturais do concelho, sendo de destacar as festas da vila, no dia de S. Pedro, a 29 de junho; a festa da Senhora da Ouvida, realizada na EN 2, a 7 quilómetros da vila, no sentido Castro Daire-Lamego, a 3 de agosto; e a festa da Nossa Senhora da Soledade, a 15 de agosto. Como feiras, destacam-se no primeiro domingo de junho, a feira da Faifa, em Ester; a 3 de agosto, a feira da Ouvida, em Castro Daire; no terceiro domingo de agosto, a feira anual das Portas de Montemuro e, no primeiro domingo de setembro, a feira do Fojo, em Gosende.
No artesanato merecem referência a tecelagem de linho e de lã (colchas e mantas), o cultivo do linho, os tamancos e as capas de palha, a cestaria (verga e castanho), a latoaria, as meias de lã e os barros negros.
Como instalações culturais são de destacar o Museu Municipal da vila, que possui material arqueológico e etnográfico, e o Centro Municipal da Cultura. No Gafanhão, existe ainda a Casa-Museu Maria da Fontinha, inaugurada em 1984 como testemunho de homenagem e gratidão de um filho da terra, o Dr. Arménio de Vasconcelos, à sua avó Maria da Fontinha.
Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor terciário, seguindo-se as do setor secundário, nomeadamente na área da transformação da madeira, das serralharias de alumínio, têxtil, da panificação e da construção civil, tendo o primário um peso relativamente baixo. As atividades de hotelaria, comércio e serviços relacionados com a exploração das termas do Carvalhal são as de maior importância.
No que se refere à agricultura, destacam-se os cultivos de cereais para grão, leguminosas secas para grão, prados temporários e culturas forrageiras, batata, prados, pastagens permanentes e vinha. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de aves, coelhos e caprinos. Cerca de 12,1% (2189 ha) do seu território está coberto de floresta.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Castro Daire na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-24 20:25:43]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais