Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Castro Marim

Aspetos Geográficos
O concelho de Castro Marim, do distrito de Faro, na Região do Algarve (NUT II e NUT III), é limitado a este por Ayamonte (Espanha), a norte e a oeste pelo concelho de Alcoutim, a sudoeste pelo de Tavira e a sul pelo de Vila Real de Santo António. Ocupa uma superfície de 300 km2, distribuída por quatro freguesias: Azinhal, Castro Marim, Odeleite e Altura.
Em 2005, o concelho de Castro Marim apresentava 6496 habitantes.
Bando de flamingos numa zona húmida de Castro Marim
Brasão do concelho de Castro Marim
Panorâmica da vila e do castelo de Castro Marim
O natural ou habitante de Castro Marim denomina-se castro-marinense.
O concelho apresenta um clima temperado mediterrânico, com verões quentes e secos e invernos suaves; a precipitação distribui-se de forma irregular ao longo do ano, concentrando-se nas estações do outono e da primavera.
Tem como recursos hídricos a ribeira de Odeleite, a ribeira Foupana e o rio Guadiana.
A nível de relevo são de destacar a Azinhosa (346 m) e o vale Covo (415 m).
O concelho de Castro Marim está englobado na Reserva Natural do Sapal de Castro Marim-Vila Real de Sto. António, de grande interesse biológico, sob múltiplos aspetos: ecológico, botânico, ornitológico e ictiológico. É uma zona influenciada por fatores económicos regionais: pesca, exploração de salinas e turismo. Os concelhos abrangidos pela reserva são Castro Marim e Vila Real de Santo António. Estende-se ao longo do rio Guadiana, a sul de Castro Marim.
História e Monumentos
Pensa-se que o concelho de Castro Marim teria sido habitado por Fenícios, atraídos pelo cobre e pelo estanho. Posteriormente, foi também de domínio árabe, até 1242. Em 1319, tornou-se o quartel-general dos Cavaleiros de Cristo, ordem militar de grande importância nas primeiras viagens dos Descobrimentos. Em inícios do século XV, o Infante D. Henrique, o Navegador, foi nomeado Governador da Ordem e residiu no Castelo de Castro Marim, mandado construir no século XIII por D. Afonso III.
No século XVII, consequência das guerras da Restauração, D. João IV mandou restaurar e ampliar o castelo com novas fortificações, como o Forte de São Sebastião.
Em XVIII, o terramoto ocorrido em 1755 destruiu grande parte da vila e respetivas muralhas.
A nível do património arquitetónico e monumental destacam-se:
- o Castelo de Castro Marim e a muralha exterior, de forma semicircular, que continha a povoação e o chamado Castelo Velho. Hoje existem apenas vestígios do castelo, com quatro torreões e uma porta, as ruínas da Igreja de São Tiago (século XIV), o Palácio dos Alcaides e moradias;
- a Ermida de Santo António-Castro Marim, situada no alto de uma colina, onde se pode ver um retábulo de sete tábuas com os milagres do santo;
- o Forte de S. Sebastião, que consistia numa estrutura defensiva construída no século XVII e que se integrava no conjunto de muralhas que envolviam a vila, do qual se veem alguns troços por entre o casario;
- a Igreja da Misericórdia de Castro Marim que, com um exterior modesto, guarda um retábulo do altar-mor, do século XVII, com sete painéis em tábua, e um núcleo de imagens do século XVIII;
- a Igreja Matriz de Castro Marim, que é um edifício datado dos séculos XVIII e XIX e que foi adotado de uma ermida. Na capela-mor e nas capelas laterais, merecem realce as imagens do arcanjo São Gabriel (século XV), com restos de policromia, de Nossa Senhora da Encarnação e dos Mártires (século XVI), e de Santa Luzia (século XVIII). Em 1960, um incêndio destruiu parte significativa do seu património;
- o Santuário de Nossa Senhora dos Mártires, que inspira o culto dos "Mártires" (segundo a tradição, teriam sido os cristãos caídos nesta localidade fronteiriça na época da Reconquista), realizado, provavelmente, desde o século VI. O templo apresenta uma galilé e capitéis de inspiração manuelina e uma escultura gótica do arcanjo São Gabriel.
Tradições, Lendas e Curiosidades
O feriado municipal de Castro Marim é celebrado a 24 de junho.
Das diversas festividades que se realizam no concelho são de salientar: a Festa de Nossa Senhora dos Mártires (a 15 de agosto, em Castro Marim), a Festa do Imaculado Coração de Maria (no segundo sábado a seguir ao Dia do Corpo de Deus, em Altura), a Festa da Nossa Senhora da Visitação (a 31 de agosto, em Odeleite) e a Festa do Caracol (no mês de maio, em Castro Marim).
A nível de artesanato destacam-se os trabalhos em rendas de bilros, os chapéus, os capachos coloridos que revestem o chão, as vassouras e os pincéis tradicionais feitos de folhas de palmeira, os cestos e o calçado tradicional.
Economia
O setor de atividade com maior peso na economia do concelho é o primário. Castro Marim é um concelho essencialmente rural, em que a área agrícola ocupa cerca de 58,5% da área do concelho, predominando o cultivo de frutos secos e frescos, o pousio, os prados temporários, as culturas forrageiras, o olival, os prados e as pastagens permanentes. No que diz respeito à pecuária, aves, ovinos e caprinos destacam-se como as principais espécies criadas. Este concelho tem uma baixa densidade florestal, da ordem dos 2,6% da superfície agrícola útil, que corresponde a 3004 hectares.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Castro Marim na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-19 22:53:56]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais