Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Chamusca

Aspetos Geográficos
O concelho de Chamusca, do distrito de Santarém, localiza-se na região de Lisboa e Vale do Tejo, na Lezíria do Tejo. Situado na margem esquerda do rio Tejo e limitado a noroeste pelas serras d'Aire e Candeeiros, faz fronteira a norte com os concelhos de Vila Nova da Barquinha e de Constância, a sul com o de Coruche, a este com os de Constância, Abrantes e Montargil e a oeste com os de Almeirim, Golegã e Alpiarça. Chamusca está inserida na bacia sedimentar do Tejo, formada na Era Terciária, que foi preenchida por aluviões e areias do quaternário.
No total, o concelho abrange uma área de cerca de 746 km2 e é constituído por sete freguesias: Chamusca, Chouto, Pinheiro Grande, Ulme, Vale dos Cavalos, Parreira e Carregueira.
Igreja Matriz da Chamusca
Brasão do concelho da Chamusca
Miradouro de N. Sra. do Pranto na Chamusca
Chamusca
Em 2005, o concelho apresentava 11 373 habitantes.
O natural ou habitante de Chamusca denomina-se chamusquense.
História e Monumentos
Do ponto de vista urbanístico, arquitetónico e cultural, o concelho é bastante rico.
A passagem de uma margem para a outra do rio era feita de barca a partir do porto medieval de Arraiolos. Atualmente é feita através de uma ponte - a Ponte da Chamusca - que data do início do século.
De entre os vários monumentos destacam-se os de cariz religioso, nomeadamente a Igreja Matriz (1510; D. João da Silva), que foi sofrendo várias alterações ao longo da sua história e que é dotada de uma rica decoração à base de azulejos, pinturas e talha dourada. São também monumentos de cariz religioso a Igreja da Misericórdia (1622); a Capela do Senhor dos Passos; a Igreja de S. Francisco (1733; Ordem Terceira da Penitência), que desde 1912 cedeu as suas instalações ao Lar Chamusquense; a Igreja de S. Pedro; a Ermida do Senhor do Bonfim e a Ermida de N. Sra. do Pranto (1738), cuja origem se deve a uma promessa do povo. Segundo reza a história, o povo prometeu, aos prantos, a construção de outra capela, caso os Franceses, durante as Invasões Francesas, não conseguissem alcançar a Capela de S. José. Esta ainda hoje tem cravada na parede da sacristia uma das balas lançadas pelos Franceses.
Será de salientar, ainda, o coreto, construído no início do século, o qual tem anexado o Núcleo Museológico da Música, onde podem ser encontrados instrumentos e documentos musicais antigos.
Tradições, Lendas e Curiosidades
Durante uma semana, incluindo a quinta-feira de Ascensão, realiza-se uma festa, com exposições de artesanato, tourada, largada de touros e espetáculo de folclore.
O feriado municipal decorre na quinta-feira de Ascensão, também conhecida por quinta-feira de Espiga (40 dias após a Páscoa).
A nível de artesanato podem encontrar-se trabalhos em cortiça e em ferro forjado, bonecas de pano, trapo e cana (monas), botas e botins, carroças e alfaias agrícolas, trabalhos de correaria, empalhados em pita, trabalhos de tanoaria e tapeçarias em tear manual.
Merece destaque a aldeia do Arrepiado, que é uma aldeia rústica desenvolvida em declive até à beira-rio.
Economia
A maior parte da população encontra-se empregada no setor primário, face à riqueza dos solos. De facto, a maior parte das explorações agrícolas situa-se ao longo da margem esquerda do rio (5273 hectares) pelo que as culturas são essencialmente de regadio - milho e arroz -, e outras, como o olival, a vinha, os pomares de pêssegos e citrinos, o tomate, o melão, o trigo e a aveia. Na produção florestal dominam as espécies de eucalipto, montado de sobro e pinheiro. Na pecuária dominam os ovinos.
Do setor secundário destacam-se as indústrias de construção e obras públicas, de metalurgia, de metalomecânica, de material elétrico, de transportes, de calçado, de vestuário e de têxteis, de alimentação e de bebidas, de madeira e de cortiça.
O setor terciário está ligado ao comércio, aos bancos, aos seguros, aos transportes e às comunicações, à administração pública e aos serviços.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Chamusca na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-19 12:57:57]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros