Natal WOOK
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Charles Bronson

Ator norte-americano, de seu verdadeiro nome Charles Buchinsky, nasceu a 3 de novembro de 1921, em Ehrenfield, uma pequena cidade do Estado da Pensilvânia. Os seus pais eram imigrantes lituanos que tiveram ao todo 15 filhos. Assim, mal terminou os estudos liceais, foi trabalhar como mineiro para ajudar a sustentar a família. Lutou no exército americano durante a Segunda Grande Guerra, finda a qual decidiu tirar um curso de Artes Dramáticas. O realizador Henry Hathaway deu-lhe um pequeno papel no filme You're in the Navy Now (1951), marcando assim a sua estreia no cinema. Os papéis secundários seguiram-se, sobretudo em westerns, como Apache (O Último Apache, 1954), Vera Cruz (1954) e Jubal (1955). Bronson só se tornaria popular com a sua prestação no sucesso The Magnificent Seven (Os Sete Magníficos, 1960), destacando-se ao lado de Yul Brynner e de Steve McQueen como um dos mercenários que defende uma aldeia mexicana dos ataques de salteadores. Neste filme, cimentou a sua imagem de duro e de vingador solitário. Em seguida, foi chamado a protagonizar filmes como The Sandpiper (Adeus, Ilusões, 1965), de Vincent Minnelli, e The Dirty Dozen (Doze Indomáveis Patifes, 1967). Em 1968, casou-se com a atriz Jill Ireland e prosseguiu a sua carreira na Europa. Fez duo com Alain Delon em Adieu L'Ami (Adeus Amigo, 1968), estreou-se no western-spaghetti com Once Upon a Time in the West (Aconteceu no Oeste, 1969), onde uma vez mais se serviu da sua frieza para proteger uma viúva (Claudia Cardinale) do ataque de um mercenário (Henry Fonda) a soldo dos Caminhos de Ferro. Contracenou por seis ocasiões com a sua mulher, sendo que a primeira parceria aconteceu em Cittá Violenta (Cidade Violenta, 1969). Regressou a Hollywood para filmar a prestação mais emblemática da sua carreira, a de um homem que não hesita em utilizar a violência para atingir os seus fins quando a sua mulher e filha são violadas em Death Wish (O Justiceiro da Noite, 1974). O sucesso da personagem Paul Kersey mereceu mais quatro continuações e tipificou a filmografia posterior de Bronson. Recebeu boas críticas pela sua prestação em Hard Times (O Lutador da Rua, 1975), de Walter Hill, drama de um pugilista de rua durante a Grande Depressão. A partir daí, foi presença constante em thrillers e filmes de ação como Telefon (Telefone, 1977), Death Hunt (Caçada Implacável, 1981), Ten to Midnight (Dez para a Meia-Noite, 1983), Assassination (Missão de Alto Risco, 1987). Em 1990, após a morte da sua mulher, vítima de cancro, Bronson rareou as suas aparições no cinema, preferindo dedicar-se aos telefilmes. Faleceu a 30 de agosto de 2003, vitimado por uma pneumonia.
Cartaz de "Death Wish" (O Justiceiro da Noite), um filme de 1974 cuja personagem principal tipificou a carreira de Charles Bronson
Pormenor do cartaz de "The Magnificent Seven" (Os Sete Magníficos), um filme de 1960 em que participaram, entre outros, Charles Bronson, Yul Brynner e Steve McQueen
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Charles Bronson na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-12-07 03:14:40]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río