Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Colégio Militar

Estabelecimento de ensino dependente do Ministério de Guerra (hoje da Defesa), que se destinava, inicialmente, aos filhos de oficiais do Exército. Atualmente, é aberto a todos os que possuírem qualificações intelectuais, morais e físicas de acordo com os requisitos da instituição. António Teixeira Rebelo, comandante do Regimento de Artilharia da Corte, fundou, em 1803, o Colégio da Educação, que deveria ser frequentado pelos filhos dos militares aquartelados no Forte de Feitoria (junto de S. Julião da Barra). A escola foi inaugurada em março de 1803. A portaria do dia 4 de abril de 1813 atribuiria uma nova denominação ao Colégio, que passaria a designar-se Colégio Militar. Nesta altura o Colégio foi transferido para o Hospital da Infanta D. Maria, no Largo da Luz.
Inicialmente, o Colégio podia acolher apenas 100 alunos, sendo 50 porcionistas e os restantes pensionistas. Os alunos porcionistas tinham idades compreendidas entre os 7 e os 11 anos e os pensionistas entre os 9 e os 12. Para além das disciplinas teóricas, os alunos recebiam aulas práticas sobre tática, esgrima, fortificação e outras artes necessárias em tempo de guerra. Depois de seis anos de ensino no Colégio, os alunos pensionistas eram promovidos a Alferes e aos porcionistas era-lhes facilitada a entrada no Exército.
A 18 de maio de 1816, o estatuto do Colégio foi alterado, passando assim a receber 200 alunos, sendo 100 pensionistas (84 filhos de oficiais do Exército e 16 filhos de oficiais da Armada). Ao longo dos tempos, tanto o sistema orgânico como o ensino foram sendo alterados, sempre com o objetivo de melhorar o estabelecimento e a sua fama. O decreto de 1824 trouxe melhorias para o ensino, dando uma preparação para o oficialato; com o decreto de 1835, o número de pensionistas foi aumentado. No mesmo ano, o Colégio foi transferido para o antigo Convento de Rilhafoles e em 1848 foi de novo transferido para o Convento de Mafra. Em 1854 o Colégio registou vários problemas no sistema de ensino, o que levou a uma redução de diplomas naquele ano. Passados cinco anos o Colégio regressou ao Largo da Luz. Em 1867 e de 1875 a 1888 o Colégio sofreu várias reestruturações, uma delas tendente a preparar de forma imediata os alunos para as armas de infantaria e cavalaria, com uma breve passagem nas escolas superiores de Engenharia e Artilharia e Estado-Maior. A reforma do ensino secundário permitiu adaptar e equiparar o ensino que era prestado na instituição. Nesta fase, o diretor do Colégio era o general José Estêvão de Morais Sarmento, que introduziu modificações não só no regime interno mas também nas instalações. Ao concluírem o curso, os alunos eram promovidos a primeiros-sargentos. Aos filhos órfãos de pais oficiais era garantida a assistência do Estado, enquanto que os outros pagavam uma propina proporcional às possibilidades dos pais. Nesta altura era já permitida a entrada de filhos de civis que pagavam uma cota fixa. Para admissão dos alunos o Colégio encontrava-se subordinado ao Conselho Tutelar do Exército de Terra e Mar.
O Colégio Militar funcionou, durante alguns anos, no Convento de Mafra
O Colégio continua a receber alunos, prestando uma formação de características similares.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Colégio Militar na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-24 20:25:01]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros