Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

comunismo

Documento doutrinário fundamental na consolidação e divulgação dos pontos de vista do comunismo foi o Manifesto do Partido Comunista de Marx e Engels, redigido em 1848. O Manifesto continha um incitamento explícito à unidade e à luta do proletariado, que era, segundo os autores, a classe que haveria de operar a revolução. Ao mesmo tempo, expunha com clareza exemplar os pressupostos ideológicos do movimento comunista.
Premissa comum a todas as ramificações deste movimento é a propriedade coletiva dos meios de produção, geridos pelo Estado de modo a garantir o bem-estar de todos os cidadãos (e não apenas de alguns) e a evitar a exploração do homem pelo homem, apontada como característica do sistema capitalista.
Ainda no decurso do século XIX, o movimento comunista fez-se notar nos países industrializados, em ações de propaganda e defesa da classe operária. Ao mesmo tempo, tinha lugar a sua organização, tanto a nível interno dos diversos países como na Internacional.
Em alturas diversas, o comunismo foi capaz de tomar o poder em vários países. A Revolução Russa de 1917 foi o momento mais significativo, quer por ter sido a primeira revolução comunista da História, quer pelo carácter exemplar dos seus desenvolvimentos. Depois da Segunda Guerra Mundial, a esfera de influência soviética estendeu-se a todo o Leste Europeu, passando a existir fortes interdependências a nível político, económico (com a criação do COMECON em 1949) e militar (com a assinatura do Pacto de Varsóvia em 1955). Assim, o comunismo constituía-se num bloco político e estratégico tão homogéneo quanto possível. O capitalismo, que, como sistema social, sempre combateu, era agora uma unidade à parte, inimiga tácita, com os Estados Unidos da América à cabeça.
Entretanto, Mao Tsé-Tung vencia a guerra civil e instaurava, em 1949, um regime de tipo comunista na China; o cubano Fidel Castro levava a cabo uma revolução com sentido semelhante no seu país; e várias nações asiáticas, sob inspiração soviética ou chinesa, adotavam regimes análogos ao emancipar-se das potências coloniais europeias.
Veio a verificar-se, porém, que o chamado comunismo real se caracterizava pela instauração de regimes autoritários em que os direitos cívicos e individuais eram sistematicamente limitados; que o desenvolvimento económico dos países comunistas ficava aquém do desenvolvimento dos países em que imperava a livre iniciativa, a isso correspondendo uma notória desigualdade de níveis de vida; que a própria oposição geopolítica que caracterizou a Guerra Fria, sob a ameaça constante de uma catástrofe nuclear, era insustentável. Assim, ao mesmo tempo que se iniciava um desanuviamento das tensões internacionais, muitos países comunistas encetaram reformas profundas. O processo foi impulsionado pelo estadista soviético Mikhail Gorbachev. Seguiu-se um conjunto de transformações nos países que a URSS controlava. A China é um caso diferente mas também de grande interesse e expectativa: o país vem tentando adotar uma fórmula mista, conciliadora do sistema comunista com o capitalista, em matéria económica, mas no que diz respeito aos direitos humanos o regime não tem dado grandes sinais de abertura.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – comunismo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-17 05:26:58]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais