Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

< voltar
< 1 min

Considerações sobre a Filosofia da História Literária Portuguesa

Conjunto de artigos "a propósito dalguns livros recentes", de Antero de Quental, inicialmente publicados no Primeiro de janeiro, em 1871, e posteriormente reunidos em volume, em 1904. Defendendo que "a filosofia das literaturas é uma criação do nosso século", tornada possível pela generalização do método histórico e crítico, Antero de Quental ressalta os trabalhos de Teófilo Braga, criador da "escola etnológica", e de Oliveira Martins, que filia na "escola social e histórica", debruçando-se em especial sobre os ensaios Teoria da História Literária Portuguesa e Os Lusíadas, de Teófilo Braga e Oliveira Martins, respetivamente.
Retrato de Antero de Quental, por Columbano Bordalo Pinheiro
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Considerações sobre a Filosofia da História Literária Portuguesa na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-12 01:57:24]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais