Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Corte na Aldeia

A obra Corte na Aldeia e Noites de inverno, de Francisco Rodrigues Lobo, foi publicada em 1619. É constituída por dezasseis diálogos didáticos sobre preceitos da vida na corte.
Inserido no contexto histórico do domínio régio filipino em Portugal, o livro reflete a deceção e a nostalgia portuguesas, devido ao desaparecimento da corte nacional, pelo que se retiraram os nobres para as suas casas senhoriais na província. Este livro pretende incentivar não só os cortesãos a fazerem a corte na aldeia, como também evidenciar (pela dedicatória a D. Duarte de Bragança, tio do futuro rei D. João IV) a necessidade da restauração da independência de Portugal, que competiria à casa ducal de Bragança, por descendência dos reis da extinta corte.
Inspirada no livro Il Cortegiano (1528, O Cortesão) de Baldassare Castiglione, a Corte na Aldeia apresenta um preceituário do comportamento cortês, abordando diversos aspetos: arte de conversar e galantear; indicações sobre epistolografia; procedimentos em diligências pessoais ou oficiais; fórmulas de tratamento; boas maneiras. Esta obra, que exclui quaisquer referências a questões religiosas e políticas, teoriza ainda sobre géneros e estilos literários e, num tom patriótico, exalta a língua portuguesa.
Corte na Aldeia é um marco importante no desenvolvimento do estilo da prosa barroca portuguesa, aproximando-se, para uns, do cultismo e conceptismo e, para outros, do maneirismo.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Corte na Aldeia na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-01 23:57:43]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros