Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Cruz Vermelha

Organização humanitária internacional não governamental, a Cruz Vermelha foi criada para prestar auxílio às vítimas da guerra. Pode situar-se a sua origem em 1863, ano em que um grupo de cinco cidadãos de Genebra - Jean-Henri Dunant, Gustave Moynier, Louis Appia, Théodore Maunoir e general Guillaume-Henri Dufour - instituiram comités para Proteção e Socorro aos Militares Feridos e Doentes em Tempo de Guerra. A atual Federação Internacional das Sociedades Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (organização equivalente à Cruz Vermelha entre os muçulmanos) formou-se em Paris em 1919, com o nome Liga das Sociedades da Cruz Vermelha. O primeiro objetivo da federação, cujos membros fundadores representavam a Cruz Vermelha de França, Reino Unido, Itália, Japão e Estados Unidos, era o de melhorar a saúde dos povos que tinham sofrido duramente com os quatro anos de guerra.
O objetivo global da federação, de acordo com os seus estatutos, é promover todos os tipos de ação humanitária com o fim de prevenir e aliviar o sofrimento humano, contribuindo, assim, para a manutenção da paz no mundo. Os seus membros encontram-se distribuídos por mais de 160 países, estando a sede em Genebra (Suíça). A ajuda não tem limites geográficos estabelecidos.
A Cruz Vermelha Internacional e o Movimento do Crescente Vermelho regem-se por sete princípios fundamentais: humanidade (levar ajuda aos feridos no campo de batalha sem quaisquer discriminações, prevenir e aliviar o sofrimento humano), imparcialidade (não discriminar ninguém com base na nacionalidade, raça, crenças religiosas e opiniões políticas), neutralidade (não devem os seus membros tomar partido em conflitos ou sequer comprometer-se com qualquer tendência política, raça, religião ou ideologia), independência (tratando-se de movimentos independentes, os seus serviços humanitários nos diversos países devem manter a sua autonomia), serviço voluntário (do auxílio prestado aos mais necessitados não é esperado qualquer lucro), unidade e universalidade.
A atuação da Cruz Vermelha em tempo de paz ocorre em caso de catástrofes (terramotos, inundações, ciclones, seca, fome, epidemias) e, de uma maneira geral, em situações em que a população tenha necessidade de cuidados de saúde ou outro tipo de assistência. Em tempo de guerra, a federação e as sociedades nacionais prestam auxílio à população civil em geral, aos internados, feridos e prisioneiros de guerra, e aos refugiados.
Em Portugal, a Cruz Vermelha foi fundada em 1864, com a assinatura da primeira Convenção de Genebra. O representante do nosso país naquela cidade foi o cirurgião, delegado do rei D. Luís, José António Marques. A Cruz Vermelha Portuguesa, ao longo da sua já longa existência, tem prestado valiosos serviços ao país, tanto em tempo de guerra como em tempo de paz. Por isso, foram-lhe já atribuídas diversas condecorações. De entre estas, merecem destaque a Ordem Militar de Torre e Espada, Valor, Lealdade e Mérito, concedida em 1919; a Ordem Militar de Cristo, concedida em 1925; a Grã-Cruz de Benemerência, concedida em 1933; a Ordem do Infante D. Henrique, concedida em 1982; e muitas outras demonstrações de homenagem e reconhecimento, no país e no estrangeiro.
A própria organização internacional da Cruz Vermelha foi agraciada por três vezes com o Prémio Nobel da Paz, em 1917, 1944 e 1963.
A 8 de maio, comemora-se o Dia Mundial da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Cruz Vermelha na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-08 17:10:00]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais