Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Daca

Aspetos Geográficos
Capital do Bangladesh, Daca situa-se no Centro do país, nas margens do rio Buriganga, na parte superior do delta do Ganges. A sua vegetação tropical e os terrenos planos em que assenta tornam-na suscetível às cheias durante a época das monções ou por altura de tempestades. Possui cerca de 3 840 000 habitantes (2005), mas a sua área metropolitana alberga 8,5 milhões de pessoas, o que a torna uma das mais populosas cidades da Ásia.
História e Monumentos
Existem vestígios do povoamento do local datados do século VII, mas a sua história começou verdadeiramente no século XI, começando a ganhar maior importância quando se tornou capital da província de Bengala durante o domínio mongol, o que aconteceu em 1608. Nessa altura, a cidade chamava-se Jahangir, em honra de um imperador mongol com esse nome. Em 1765, passou para o controlo britânico e a sua população reduziu-se dramaticamente, mas logo a seguir recuperou e modernizou-se. Em 1947, tornou-se capital do Paquistão Oriental, estado muçulmano que nasceu da divisão da Índia. Seguiu-se um período de muita violência e movimentos imigratórios, o que originou um crescimento populacional exponencial e diversos problemas associados à falta de capacidade para absorver essa população. Em 1970, um grande ciclone matou cerca de meio milhão de pessoas e deixou parte da cidade destruída. O desencanto com a reação do governo à catástrofe e também com as discriminações étnicas conduziu ao movimento independentista que criou a República do Bangladesh em 1971, sendo Daca a sua capital. O período da pós-independência foi caracterizado por um rápido e massivo crescimento populacional, constituído por trabalhadores rurais de várias áreas do país. Os principais monumentos da cidade são o antigo Palácio de Ahsan Manzil, o Forte de Lalbagh (construído em 1678 e inacabado) e a Mesquita de Hussain Dalan.
Aspetos Turísticos e Curiosidades
Daca possui uma vibrante vida cultural. Há celebrações anuais muito efusivas, como o Dia da Independência (26 de março), o Dia dos Mártires da Língua (21 de fevereiro) e o Dia da Vitória (16 de dezembro). Também o Ano Novo bengali, que acontece a 14 de abril, é largamente celebrado por toda a cidade. A cidade é também caracterizada por mercados de rua e pequenas lojas que vendem as mais diversas mercadorias, embora recentemente tenha assistido à proliferação de grandes centros comerciais, multiplexes e hotéis. Entre as suas atrações ao nível dos monumentos, destacam-se o Palácio de Bangabhaban (residência oficial do Presidente da República), o Jatiyo Sangshad Bhaban (edifício do Parlamento), o Baitul Mukarram (a mesquita nacional), o Palácio Bara Katra, o Forte de Lalbagh e o Museu Nacional.
Economia
Daca é o coração comercial do país. O poder de compra da classe média da cidade, que tem crescido rapidamente, é significativamente superior à do resto do país, o que origina um grande crescimento do mercado de bens de consumo e de luxo. A maior parte dos trabalhadores qualificados do país trabalha na área metropolitana de Daca, nos seus negócios e indústrias. Grande parte da população está empregada nas pequenas lojas, mercados ou no transporte por riquexós (que atingem as centenas de milhar). A Zona de Processamento de Exportações alberga cerca de 80 fábricas e emprega especialmente mulheres, que trabalham sobretudo nos têxteis. Têm crescido muito os setores das finanças, bancos, telecomunicações e serviços, permanecendo muito importante para a economia da cidade a indústria do turismo.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Daca na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-17 08:32:50]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais