Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Deco

Futebolista internacional português, Anderson Luís de Sousa, conhecido por Deco, nasceu a 27 de agosto de 1977, em São Bernardo do Campo, no Brasil.
Deco, que se destacou como centro-campista, começou por jogar futebol no Brasil em clubes de segundo plano. Quando atuava no Corinthians Alagoano deu nas vistas e chamou a atenção do Sport Lisboa e Benfica, um dos maiores clubes portugueses. Aos vinte anos, Deco veio jogar para Portugal, mas foi emprestado ao Alverca, clube da II Liga onde o Benfica punha a rodar os jogadores mais jovens que ainda não tinham lugar no seu plantel.
Assim, Deco estreou-se na II Liga na temporada 1997/1998. Ao serviço do Alverca fez 32 jogos, tendo marcado 13 golos, um número de destacar para um centro-campista. Mesmo assim, no final da época o Benfica entendeu que Deco não interessava para a equipa principal e prescindiu dos seus serviços.
O futebolista Anderson Luís de Sousa (Deco)
O jogador rescindiu o contrato com o clube de Lisboa e mudou-se para o Salgueiros, da cidade do Porto. Deco estreou-se na I Divisão no jogo Campomaiorense-Salgueiros, a 18 de outubro de 1998, numa altura em que o clube era treinado por Dito. Deco fez nove jogos e marcou dois golos ao serviço do Salgueiros e a meio da temporada foi transferido para o FC Porto, treinado por Fernando Santos. Ainda fez seis jogos no FC Porto e sagrou-se campeão nacional.
Na temporada seguinte, 1999/2000, jogou com mais regularidade no FC Porto e conquistou a Taça de Portugal. Em 2000/2001, Deco assumiu-se definitivamente como titular tendo marcado seis golos e alinhado em quase todos os jogos da época. Conquistou novamente a Taça de Portugal.
As suas prestações começaram a atrair a atenção de clubes europeus, mas manteve-se nas Antas onde, em 2001/2002, marcou 13 golos, numa altura em que já era um dos jogadores mais influentes da equipa.
Em 2002/2003, Deco foi o melhor jogador do FC Porto, numa temporada em que o clube ganhou o campeonato e a Taça UEFA (a segunda prova mais importante da Europa a nível de clubes). Entretanto, no início de 2003, Deco adquiriu a nacionalidade portuguesa e estreou-se pela seleção de Portugal no dia 29 de março num jogo particular contra o Brasil disputado no Estádio das Antas, no Porto. Portugal, treinado por Luiz Felipe Scolari, ganhou 2-1 com o golo da vitória a ser obtido por Deco. Uma estreia que serviu para pôr fim à muita polémica que surgiu no país sobre a legitimidade ou não de um jogador nascido no Brasil representar Portugal.
No Euro 2004, Deco foi um dos sete médios à disposição de Scolari. A sua boa prestação em campo, nomeadamente neste campeonato, despertou o interesse do FC Barcelona, que acabaria por contratar o jogador na época de 2004/2005. Em 2006, Deco voltou a ser escolhido por Scolari para fazer parte da seleção portuguesa no Mundial de Futebol realizado na Alemanha e, ainda nesse ano, foi galardoado com o Globo de Ouro português para o Melhor Jogador do Ano de 2005.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Deco na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-18 20:45:05]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais